Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Hollande toma posse e diz que ‘desafios são consideráveis’

Novo presidente francês pediu um 'novo pacto' na Europa para superar a crise

O socialista François Hollande, de 57 anos, tomou posse da Presidência francesa nesta terça-feira e destacou em seu primeiro discurso como chefe de estado da França que seu governo tem pela frente “desafios consideráveis”. Ele é o primeiro presidente do Partido Socialista a governar o país em 17 anos, desde que François Mitterrand deixou o governo em 1995.

Ricardo Setti: O ‘presidente comum’ toma posse em circunstâncias incomuns

“Dirijo aos franceses uma mensagem de confiança. Somos um grande país que sempre soube superar os desafios”, declarou Hollande após assumir a Presidência da República.”Vou propor aos meus colegas europeus um pacto que una a necessária redução do déficit com o indispensável estímulo da economía”, afirmou. Além disso, Hollande disse que a Europa precisa de um “novo caminho” e que “a França precisa de paz, de reconciliação”.

Cerimônia – A cerimônia de transferência do poder começou em Paris por volta das 10 horas (5 horas em Brasília), com a chegada do presidente eleito ao Palácio do Eliseu. Antes de receber oficialmente o cargo, o novo presidente recebeu as boas-vindas do líder em fim de mandato, Nicolas Sarkozy, derrotado por ele nas eleições presidenciais.

Em seguida, já no interior do palácio, o presidente do Conselho Constitucional francês, Jean-Louis Debré, anunciou os resultados das eleições de 6 de maio e proclamou François Hollande o sétimo presidente da 5ª República. Após receber as insígnias da Grande Cruz da Legião de Honra, Hollande pronunciou seu primeiro discurso.

Após a posse, Hollande e Sarkozy se reuniram por cerca de meia hora no escritório presidencial. Durante o encontro, o novo líder francês recebeu os códigos secretos de ativação do armamento nuclear do país, uma das principais prerrogativas e responsabilidades do chefe do estado.

Primeiro-ministro – O presidente François Hollande revelará durante a tarde o nome de seu primeiro-ministro, que segundo os analistas será o até agora chefe dos deputados socialistas, Jean-Marc Ayrault. Ainda nesta terça-feira, ele viajará a Berlim para reunir-se com a chanceler alemã, Angela Merkel.

Sua agenda continuará muito cheia no restante da semana, com a formação de governo na quarta-feira e uma viagem aos Estados Unidos no fim de semana para, após reunir-se com o presidente Barack Obama, participar sucessivamente das cúpulas do G8 e da Otan.

(Com agência EFE)