Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Hollande se despede de Partido Socialista e pede maioria nas legislativas

Paris, 14 mai (EFE).- Na véspera de tomar posse como Chefe de Estado da França, François Hollande se reuniu nesta segunda-feira com sua formação, o Partido Socialista, e pediu uma maioria ‘ampla, sólida e leal’ nas legislativas de junho, que o ajude a realizar o projeto de governo com o qual ganhou as presidenciais de 6 de maio.

Em seu discurso diante da cúpula do Partido Socialista francês, Hollande solicitou ‘um voto de coerência’ no pleito de junho, não só para apoiar o Governo, mas também para tornar possível a tomada de medidas. ‘Para ganhar umas eleições há diversas condições. A primeira é a unidade’, disse o presidente eleito, que amanhã sucederá o conservador Nicolas Sarkozy à frente do país.

Na reunião, o político ainda falou aquela era a última vez que falava diante do conselho nacional pelo menos nos próximos cinco anos, período do mandato como presidente da França. Hollande aproveitou a ocasião para agradecer o partido pelo aprendizado nos sucessos e fracassos.

Após tomar posse, Hollande anunciará o nome do novo primeiro-ministro. Até agora, o chefe dos deputados socialistas, Jean-Marc Ayrault ou a primeira secretária do agrupamento, Martine Aubry, aparecem como os favoritos para serem nomeados para o cargo.

O encontro, o primeiro desde o início de maio quando Hollande venceu as presidenciais, marca o lançamento da campanha para os novos pleitos, nos quais sua ex-mulher, a ex-candidata socialista à Presidência francesa, Ségolène, Royal solicitou o apoio para poder passar ‘das palavras aos atos’.

Igualmente consciente da dificuldade desse trabalho, a encarregada pelo encerramento da reunião, Martine, ressaltou aos presentes que todos são essenciais para a vitória nas próximas eleições, e destacou a necessidade de uma maioria, para que as mudanças sejam realizadas.

Este foi o segundo encontro de Hollande nesta segunda diante dos meios e comunicação, horas após deixar claro que está consciente da sua nova responsabilidade e que não espera um tratamento de condescendência da imprensa.

‘Devemos estar à altura’, disse Hollande, destacando que recebeu responsabilidade em um cenário internacional complicado, fazendo referência a crise da zona do euro. Nesta terça-feira, Hollande deve viajar à Alemanha para se reunir com a chanceler alemã, Angela Merkel, para conversar sobre a política de austeridade e crescimento da União Europeia.

Além disso, o primeiro encontro em Berlim discutirá o futuro do quinquênio e as possibilidades de mudança.

Hollande também irá aos Estados Unidos no fim de semana para, após reunir-se com o presidente Barack Obama, participar das cúpulas do G8 e da Otan, onde está previsto que formalize a retirada antecipada das tropas do Afeganistão. EFE