Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Hollande faz reunião emergencial sobre o atentado e recebe Sarkozy

O atual e o ex-presidente da França conversaram sobre segurança nacional e sobre a caçada aos dois principais suspeitos, os irmãos Kouachi

Por Da Redação 8 jan 2015, 07h20

O presidente da França, François Hollande, realizou nesta quinta-feira uma reunião de crise emergencial com os membros de seu governo diretamente envolvidos na gestão do atentado de ontem contra a revista satírica Charlie Hebdo. Hollande também recebeu seu antecessor Nicolas Sarkozy para uma conversa e troca de informações sobre segurança nacional.

Segundo a imprensa francesa, Hollande e Sarkozy referiram-se, em particular, à procura dos principais suspeitos, os irmãos Cherif e Said Kouachi, que tiveram suas identidades divulgadas pela polícia na noite desta quarta. Ao término da reunião de crise do Executivo, o primeiro-ministro, Manuel Valls, explicou em declaração que a operação de busca prossegue até “deter os indivíduos que cometeram o ataque terrorista”.

Leia também

Polícia francesa prende 7 pessoas por relação com ataque

Um dos três suspeitos do atentado terrorista em Paris se entrega

Saiba quem são as 12 vítimas do ataque contra a ‘Charlie Hebdo’

Continua após a publicidade

Valls tinha informado no começo da manhã que durante a noite foram realizadas “várias” detenções vinculadas com a investigação. De acordo com a imprensa, foram sete detenções realizadas em três cidades: Paris, Reims e Charleville-Mézières. O primeiro-ministro não deu novos detalhes sobre a perseguição dos suspeitos e pediu “responsabilidade” à imprensa nas informações que divulga porque algumas “podem prejudicar o trabalho das forças da ordem”.

No gabinete de crise, além de Hollande e Valls, estiveram as titulares das pastas de Interior, Bernard Cazeneuve; Relações Exteriores, Laurent Fabius; Defesa, Jean-Yves Le Drian; Justiça, Christiane Taubira; e Cultura, Fleur Péllerin.

Saiba mais

Último número de revista trouxe charge premonitória

‘Charlie Hebdo’ e a arte de provocar

(Com agências France-Presse e EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade