Clique e assine a partir de 9,90/mês

Holandês é condenado a 28 anos de prisão no Peru por homicídio

Por Da Redação - 13 jan 2012, 16h59

Lima, 13 jan (EFE).- O holandês Joran van der Sloot, de 24 anos, foi condenado nesta sexta-feira a 28 anos de prisão pelo homicídio qualificado e furto simples da peruana Stephany Flores em 2010, crime que confessou em uma tentativa de reduzir a sentença de 30 anos de prisão pedida pela Procuradoria do Peru.

A sentença também determinou que Van der Sloot deverá pagar uma reparação civil de US$ 74 mil à família da vítima, e será expulso do país após cumprir sua sentença.

O acusado se reservou o direito de apelar à sentença, enquanto os advogados da família Flores se mostraram satisfeitos com a condenação.

A sentença contra Van der Sloot foi ditada 48 horas depois que o acusado confessou o crime e recorreu à lei da conclusão antecipada para tentar reduzir a sentença de 30 anos.

No entanto, o advogado da família Flores, Edward Álvarez, disse em entrevista coletiva que a condenação estava ‘dentro das margens previstas’, e não deverá ser impugnada.

O defensor disse que as juízas descontaram dois anos da penalidade pedida pela Procuradoria porque Van der Sloot tinha 22 anos no momento do delito e por ter recorrido à lei da conclusão antecipada, que evitou o desenvolvimento de um processo completo.

Continua após a publicidade

O pai da vítima, Ricardo Flores, declarou na entrevista coletiva posterior à leitura da sentença que na próxima segunda-feira fará uma denúncia sobre ‘os excessivos privilégios’ que Van der Sloot vem recebendo na prisão.

Segundo uma reportagem de um programa de televisão peruano, o holandês tem em sua cela um televisor LCD de 42 polegadas, alto-falantes e um reprodutor Blue-ray para ver filmes em 3D, além de um telefone celular com acesso à internet.

Joran van der Sloot conheceu Stephany Flores, de 21 anos, em um cassino de Lima no final de maio de 2010 e a levou a seu quarto de hotel para roubar o dinheiro que ela tinha ganhado em uma partida de pôquer, segundo as investigações policiais que foram ratificadas na sentença.

Em seguida, o holandês bateu na cabeça da jovem e começou a estrangulá-la até ela morrer asfixiada.

Após roubar US$ 314 e seus cartões de crédito, Van der Sloot fugiu para o Chile, onde foi detido e entregue às autoridades peruanas em junho de 2010.

Van der Sloot também foi investigado nos Estados Unidos pelo desaparecimento em 2005 de Natalie Holloway, de 18 anos, em Aruba, mas sua suposta responsabilidade nesse caso não foi confirmada. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade