Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Na TV, Hillary tem de ler declarações de Trump – sem rir

A candidata democrata aceitou a brincadeira, mas se recusou a ler uma das frases polêmicas do magnata

Por Da redação Atualizado em 23 ago 2016, 20h13 - Publicado em 23 ago 2016, 16h22

Em participação no talk show Jimmy Kimmel Live! na noite dessa segunda-feira, a candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, teve de ler declarações feitas pelo candidato do Partido Republicano, Donald Trump, sem esboçar nenhum sorriso.

Hillary aceitou o desafio, mas se recusou a ler uma das famosas frases controversas de Trump. “Se Ivanka não fosse minha filha, talvez eu estaria namorando com ela”, leu o apresentador Jimmy Kimmel, que ressaltou que a frases não foram inventadas, foram realmente ditas por Trump.

A declaração sobre a importância de “pedir desculpas quando você está errado”, terminou com um comentário irônico da ex-secretária de Estado: “isso é profundo”. Em outra frase lida por Hillary, Trump insultava a comediante americana Rosie O’Donnell, ao dizer que “olharia para aquela cara gorda e feia e a demitiria”.

LEIA TAMBÉM:
FBI descobre mais 14.900 e-mails não divulgados por Hillary
Obama é fundador do EI e Hillary é co-fundadora, diz Trump
Pesquisa coloca Hillary 10 pontos à frente de Trump

No programa, Hillary também desmentiu especulações a respeito de sua saúde, alvo de ataques por parte de membros da campanha republicana nos últimos dias. “Não sei por que eles estão dizendo essas coisas. Acho que é parte de uma estratégia maluca, tipo ‘diga um monte de coisas doidas e talvez algumas pessoas acreditem em você'”.

Continua após a publicidade

Partidários de Trump têm feito insinuações e afirmações de que Hillary estaria doente. “Ela não tem a resistência física, nem mental” necessária para ser presidente, disse o magnata.

“Acho que Hillary está cansada, parece doente”, declarou na segunda-feira o ex-prefeito de Nova York Rudy Giuliani. Ele já havia dito que bastava buscar “‘Hillary Clinton doença’ e olhar os vídeos” para notar “sinais de doença nela”.

Em outra ocasião, uma porta-voz da campanha de Trump, Katrina Pierson, que não é médica, disse que Hillary tem “disfasia”, alegando que a democrata tem dificuldade para falar.

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês