Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Hillary está prestes a conquistar delegados necessários para nomeação democrata

Califórnia e outros cinco estados realizam prévias nesta terça-feira; ex-secretária de Estado precisa de menos de 30 delegados para garantir indicação

A ex-secretária de Estado americana Hillary Clinton deverá obter o número suficiente de delegados para vencer a disputa interna do Partido Democrata à indicação à Casa Branca nesta terça-feira, quando o partido realiza primárias em seis Estados, entre eles Nova Jersey e Califórnia. Favorita, a ex-primeira-dama, de 68 anos, está prestes a se tornar a primeira mulher nomeada para a eleição presidencial por um dos dois grandes partidos americanos.

Impulsionada pelas vitórias no fim de semana nas Ilhas Virgens e em Porto Rico, Hillary precisa de apenas de 19 a 29 delegados (segundo estimativas de NBC e CNN) para chegar à meta de 2.383 necessária que lhe garantiriam a nomeação. Seu adversário, o socialista Bernie Sanders, está em desvantagem de 800 delegados.

Leia mais:

Apoiadores e críticos de Trump se enfrentam perto de comício na Califórnia

Hillary: Trump é incapaz de ser presidente e não pode ter códigos nucleares

Em sua segunda tentativa de chegar à Casa Branca, depois de perder a indicação democrata para o então senador por Chicago Barack Obama, em 2008, Hillary não deixa de reafirmar o caráter histórico de sua candidatura.

“Meus seguidores são apaixonados”, disse ela nesta segunda-feira, principalmente porque “acreditam que ter uma mulher como presidente enviará uma mensagem forte, uma mensagem histórica sobre o tipo de país que somos e no qual acreditamos”. “É muito emocionante”, completou.

Mais tarde, diante de seguidores em um comício em espanhol e em inglês na cidade predominantemente latina de Lynwood, a ex-secretária disse que “se sentirá profundamente honrada e surpreendida”, se a terça-feira se tornar o “dia de Hillary”.

Outro lado – Mas o senador por Vermont contesta essa vitória anunciada e afirma que tenta mudar as lealdades dos superdelegados, figuras ilustres do Partido Democrata. Essas personalidades são livres para decidir seu voto durante a Convenção Nacional do Partido, em julho, na Filadélfia. Mais de 500 dos 700 superdelegados apoiam Hillary.

Sanders continua criticando duramente a adversária e fazendo campanha na Califórnia, onde pesquisas de opinião apontam uma votação apertada. Vencer nesse Estado, que distribui o maior número de delegados da disputa interna (475), poderia justificar sua permanência até a última primária, na próxima semana, em Washington, ou inclusive até a convenção.

“Nossa meta é obter a maior quantidade de delegados que pudermos para convencer os superdelegados que (…) eu sou o melhor candidato” para vencer Donald Trump, disse Sanders durante coletiva de imprensa em Emeryville.

(Com AFP)