Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Governo sírio liberta mais de 1.100 opositores detidos

Segundo TV estatal, foram soltos 1.180 pessoas que 'não têm sangue nas mãos'

Por Da Redação 15 nov 2011, 14h24

As autoridades sírias libertaram nesta terça-feira mais de 1.100 pessoas que estavam detidas por participar de protestos contra o regime do ditador Bashar Assad, informou a televisão pública. De acordo com o canal, 1.180 detidos que “não têm sangue nas mãos” foram soltos.

No dia 5 de novembro, as autoridades já haviam libertado, em ocasião da celebração muçulmana do Al-Adha, 553 manifestantes. Essa medida ocorre no momento em que o regime, que ignora os apelos internacionais pelo fim da repressão, está cada vez mais isolado. O governo de Assad já foi criticado pelas nações islâmicas, que o acusam de não fazer esforços para superar a crise política.

Na quarta-feira, a Liga Árabe deve realizar uma reunião extraordinária em Rabat, no Marrocos, para oficializar a decisão de suspender a Síria. A medida foi votada no dia 12 de novembro e aprovada por 18 dos 22 membros da organização pan-árabe.

As associações sírias de defesa dos direitos humanos e a ONU estimam em vários milhares o número pessoas presas durante a repressão à revolta iniciada no dia 15 de março. Mas de 3.500 pessoas foram mortas, segundo as Nações Unidas. A última segunda-feira foi uma das jornadas mais violentas desde o início da revolta popular contra o regime, com mais de 70 mortos, entre civis e militares.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade