Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Governo sírio inicia limpeza e reconstrução de Homs

Enquanto isso, oposição lança ofensiva contra Exército perto de Damasco

Por Da Redação 5 mar 2012, 08h27

As autoridades sírias começaram a limpar nesta segunda-feira os destroços e a reparar os danos causados pelos ataques na cidade de Homs, principalmente nos bairros de Baba Amr e Al Inshaat, informou a agência oficial de notícias Sana. Segundo a agência, várias equipes de manutenção começaram a reparar os estabelecimentos e edifícios afetados pela ação de “grupos terroristas” que o regime sírio acusa de estarem por trás da violência no país.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março para protestar contra o regime de Bashar Assad, no poder há 11 anos.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram mais de 9.400 pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

Também foi feita a limpeza das ruas e a retirada das barreiras instaladas na região. A Companhia Síria de Petróleo iniciou a reparação do oleoduto da zona de Al Sultaniya, que teria sofrido uma “sabotagem”. Em Baba Amr, as autoridades encontraram esconderijos dos “terroristas”, entre eles, alguns edifícios utilizados para armazenar armas e fabricar artefatos explosivos, segundo a Sana.

Já os grupos opositores ao regime de Damasco denunciaram que Baba Amr foi alvo de contínuos bombardeios por parte das tropas leais a Bashar Assad desde o início de fevereiro. A ofensiva terminou na quinta-feira passada, quando o exército tomou o controle do bairro após um ataque terrestre. Apesar da situação crítica na cidade, o Crescente Vermelho sírio e a Cruz Vermelha Internacional seguem sem poder entrar no local.

Oposição – Enquanto isso, ativistas de oposição informaram que as tropas do governo estão tentando tomar outras cidades ao longo do país após atacar a cidade de Rastan no final de semana. Três pessoas morreram em Daraa, e outras duas em Aleppo e em Idleb, informaram os oposicionistas.

O Exército Livre Sírio (ELS) disse nesta segunda-feira que, apesar de estarem bem menos equipados do que o Exército, os seus soldados atacaram um prédio das forças aéreas do regime em Harasta, próximo a Damasco, na noite de domingo. “Depois que o regime cometeu massacres em Homs e outras cidades sírias – além de atacar jornalistas e civis no país – o ELS entrou na fase de operações ofensivas em defesa do povo sírio”, disse o capitão do grupo, Ammar Wawi. “A operação em Harasta faz parte da resposta ao massacre do regime contra pessoas desarmadas”, completou.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade