Clique e assine a partir de 9,90/mês

Governo da Itália amplia medidas de quarentena contra coronavírus

A partir de agora, apenas farmácias, supermercados e bancos poderão funcionar; empresas deverão exigir que funcionários trabalhem de casa

Por Da Redação - Atualizado em 11 mar 2020, 19h47 - Publicado em 11 mar 2020, 19h27

O governo da Itália ampliou nesta quarta-feira, 11, as medidas de quarentena implantadas em todo o país por conta do surto do novo coronavírus. Segundo o primeiro-ministro Giuseppe Conte, todos os negócios deverão fechar suas portas e só deverão permanecer abertos farmácias, supermercados e bancos.

De acordo com as medidas anunciadas na última segunda-feira 9, os restaurantes e bares deveriam fechar suas portas depois das 18h e enquanto estivessem abertos respeitar a obrigatoriedade de distância de um metro entre os clientes, ou suas atividades seriam suspensas.

A partir de agora, apenas farmácias, supermercados e bancos poderão funcionar. Serviços de entrega de comida também poderão continuar a trabalhar.

Segundo o premiê, todas as empresas também deverão exigir que seus funcionários trabalhem de casa, com exceção daquelas companhias que necessitam da presença física dos trabalhadores.

Continua após a publicidade

Nesta quarta, o total de mortes causados pela Covid-19 aumentou em 196 em 24 horas e chegou a 827. Foi o maior aumento diário em termos absolutos registrado em qualquer lugar do mundo desde que o vírus surgiu na China no final do ano passado.

Os casos confirmados em toda a Itália subiram para 12.462 em relação aos 10.149 anteriores. O governo ainda anunciou nesta quarta que aumentará os gastos para amenizar os estragos do coronavírus.

Reconhecendo a emergência crescente, Conte disse aos repórteres que o governo alocará 25 bilhões de euros para ajudar a mitigar o impacto na economia já frágil — só uma semana atrás, ele estimou que o país precisaria de apenas 7,5 bilhões de euros.

Os idosos são particularmente suscetíveis ao vírus, e a Itália tem a população mais idosa da Europa, com 23% das pessoas com 65 anos ou mais. Especialistas dizem que isso pode explicar por que a taxa de fatalidade ali é de 6,6% — significativamente mais alta do que em outros lugares.

Continua após a publicidade

A maioria dos italianos parece estar respeitando os controles mais severos adotados em uma nação ocidental desde a Segunda Guerra Mundial, já que o tráfego está muito mais tranquilo do que o normal nas grandes cidades, muitas lojas e restaurantes estão fechados e só alguns voos estão operando.

Publicidade