Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Governo americano cortará ajuda financeira a três países da América Latina

Presidente Donald Trump acusou Guatemala, El Salvador e Honduras de organizar caravanas de imigrantes para os Estados Unidos

Por Da redação Atualizado em 3 abr 2019, 19h02 - Publicado em 3 abr 2019, 11h36

O Departamento de Estado dos Estados Unidos anunciou nesta terça-feira, 2, a intenção de retirar cerca de 450 milhões de dólares destinados a ajuda financeira a três países da América Latina: Guatemala, El Salvador e Honduras.

O anúncio ocorreu depois que o presidente americano, Donald Trump, disse, na última sexta-feira 29, que iria fechar a fronteira com o México caso o país não impedisse a imigração irregular. 

Como resposta, o ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, disse que o “o México não atua baseado em ameaças” e a Câmara de Comércio americana soltou uma nota nesta segunda-feira, 1º, dizendo que compartilha a “preocupação” do presidente com a situação na fronteira, mas que se opõe quanto ao fechamento porque “o comércio com o México passa dos 1.7 bilhões de dólares diariamente” e que “milhões de pessoas atravessam a fronteira legalmente para trabalhar, estudar, comprar e fazer turismo”.

Trump, então, recuou na ideia de fechar a fronteira com o México. No entanto, não voltou atrás em sua decisão de cortar a ajuda financeira para os três países latinos. Ainda em seu Twitter, Trump disse que “o México está apreendendo muitas pessoas em sua fronteira ao sul, sendo a maioria de Guatemala, Honduras e El Salvador” e que esses países estariam “pegando dinheiro americano e não fazendo nada em troca para nós”.

Trump, também acusou os países latinos de usarem o dinheiro para financiar as caravanas de imigrantes irregulares, mandando pessoas “indesejáveis” aos Estados Unidos.

Em uma reunião com jornalistas na manhã desta terça-feira, 2, o porta-voz do Departamento de Estado, Robert Palladino, confirmou a ordem do presidente em acabar com a ajuda financeira e que a ação é uma questão de segurança nacional.

“O Presidente determinou que esses programas não foram efetivos em prevenir a imigração ‘ilegal’ nos Estados Unidos, e que não alcançaram os resultados que eram desejados”, disse à jornalistas.

O próximo passo será notificar o Congresso para que o dinheiro pare de ser enviado. Mas o Partido Democratas disse que vai fazer de tudo para barrar a medida do governo.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês