Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governador de Jacarta vence eleições presidenciais

Joko Widodo recebeu 53% dos votos. Segundo colocado denunciou a ocorrência de fraudes no pleito realizado no dia 9 de julho

O governador de Jacarta, Joko Widodo, venceu as eleições presidenciais da Indonésia com 53% dos votos, de acordo com os resultados consolidados divulgados nesta terça-feira. O político, conhecido como Jokowi, é o primeiro candidato em uma eleição direta no país que não tem laços com o antigo ditador Suharto, deposto em 1998. O oponente de Jokowi, como o governador é conhecido, afirmou ter havido fraude nas eleições. O general da reserva Prabowo Subianto, que disputava a presidência pela terceira vez, ficou com 46% dos votos.

O índice de participação dos eleitores no pleito realizado no dia 9 deste mês foi de 70%, com 130 milhões de pessoas indo às urnas. “Estas eleições não foram democráticas e vão contra a Constituição. A Comissão Eleitoral não foi justa nem transparente”, reclamou Prabowo, em carta lida por um membro de sua equipe na sede da comissão eleitoral. “Rejeitamos estas eleições presidenciais que estiveram cheias de erros legais”.

Em entrevista à agência Reuters antes do anúncio do resultado final, Jokowi prometeu tornar o país mais atraente a investidores melhorando a infraestrutura, simplificando os regulamentos e demitindo ministros que não estejam correspondendo às expectativas. Ele também foi eleito com a promessa de romper com o autoritarismo do passado na Indonésia e oferecer melhores condições de vida aos mais pobres.

A margem de vitória de Widodo será decisiva para manter o resultado, mesmo que Subianto recorra à Corte Constitucional, informou a rede britânica BBC. O candidato derrotado disse que seus apoiadores não recorreriam à violência, mesmo com o questionamento dos resultados. De qualquer forma, a segurança foi reforçada para o anúncio dos resultados, com mais de 250.000 policiais convocados para conter eventuais confrontos entre partidários dos dois candidatos.

(Com Estadão Conteúdo e agência EFE)