Clique e assine com até 92% de desconto

Gingrich sugere que EUA ajam de ‘forma encoberta’ na Síria

Por David Becker 5 fev 2012, 20h49

Newt Gingrich, um dos pré-candidatos republicanos à Presidência dos Estados Unidos, sugeriu neste domingo que Washington aja de “forma encoberta” na Síria para tirar do poder o presidente Bashar al Assad, sem recorrer a tropas próprias.

Gingrich, que disputa a indicação do partido republicano com o favorito Mitt Romney, disse no programa de televisão “Face the Nation”, da emissora CBS, que Washington poderia agir para ajudar na queda do regime sírio, que enfrenta uma rebelião, a qual tem reprimido com violência.

“Penso que poderíamos fazer muitas coisas de forma encoberta, em termos de fornecimento de armas, de ajuda ao povo, aportando conselheiros”, afirmou.

“Acho que deveríamos deixar claro ao mundo que Assar vai partir” e que é possível “reunir uma coalizão para se desfazer dele. Não acho que se tenha que utilizar tropas americanas”, mas Washington deve agir com determinação para que “quem é contrário a Assad o saiba e consiga o apoio necessário para derrotá-lo”, afirmou.

As declarações de Gingrich ocorrem um dia depois que Rússia e China vetaram um projeto de resolução condenando a Síria no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

No domingo, ativistas reportaram que continuavam os bombardeios à cidade de Homs pelas tropas governamentais e asseguraram que 56 pessoas tinham morrido em diversos pontos do território sírio, a metade delas, civis.

Grupos de oposição sustentam que mais de 6.000 pessoas morreram na Síria desde o início dos protestos.

Continua após a publicidade
Publicidade