Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Geórgia transformará o museu Stalin em museu da repressão

Por Vano Shlamov - 9 abr 2012, 13h56

A Geórgia vai transformar o museu consagrado ao mais célebre dos georgianos, Joseph Stalin, em um museu do estalinismo centrado na repressão exercida sob a ditadura soviética.

O Museu Stalin, situado em Gori (noroeste de Tbilisi), localidade em que nasceu o ditador em 1878, “é incompatível com o presente e o futuro”, segundo o ministro georgiano da Cultura, Nicoloz Rurua.

“A história não pode ser apagada e esta página tão difícil da história de nosso país deve ser contata convenientemente nestas paredes”, acrescentou durante uma visita ao museu, segundo imagens exibidas pela tv local.

O museu abriu suas portas em 1937 na casa em que nasceu “o pai dos povos”.

Publicidade

Em 2010, o regime pró-ocidental do presidente georgiano Mikhail Saakashvili retirou uma gigantesca estátua de Stalin da praça central de Gori instalada desde 1952, um ano depois da morte d ditador.

Publicidade