Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Garçom é acusado de planejar assassinato de presidente da Câmara

Michael Hoyt, de 44 anos, trabalhava no clube de golfe frequentado pelo deputado republicano e o culpava por ter sido demitido

Por Da Redação 14 jan 2015, 06h28

Um garçom do estado de Ohio foi acusado de planejar o assassinato do presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, o republicano John Boehner. O deputado é um frequentador assíduo do clube de golfe no qual trabalhava o garçom, informou nesta terça-feira a imprensa local.

Michael Hoyt, de 44 anos, ameaçou Boehner de morte em outubro por considerar que o político teve relação com sua demissão do Wetherington Golf & Country Clube de Cincinnati, em Ohio. Hoyt, que sofreu com surtos psicóticos há dois anos, alegou também que ouvia vozes que lhe diziam que Boehner era o diabo e também responsável pelo surto de ebola na África, segundo a denúncia apresentada em um tribunal federal de Cincinnati.

Leia também

Mitt Romney considera concorrer à Presidência mais uma vez

Reaproximação com Cuba movimenta corrida à Casa Branca

Jeb Bush abre corrida republicana pela Casa Branca

Hoyt tinha uma pistola semiautomática em casa e, segundo suas ameaças, pretendia assassinar Boehner com esta arma. A emissora CNN informou que Hoyt está detido e concordou voluntariamente em ser submetido a uma avaliação psiquiátrica.

Continua após a publicidade
Publicidade