Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Gângster que inspirou Nicholson em ‘Os Infiltrados’ é considerado culpado

James "Whitey" Bulger, de 83 anos, foi preso em 2011 depois de ficar dezesseis anos foragido. Ele poderá ser condenado à prisão perpétua

Por Da Redação 12 ago 2013, 18h16

James “Whitey” Bulger, um dos mais conhecidos gângsteres dos Estados Unidos, foi considerado culpado de 31 das 32 acusações a que respondia, incluindo onze homicídios. O julgamento durou dois meses e o júri formado por oito homens e quatro mulheres deliberou durante cinco dias antes de anunciar o veredito nesta segunda-feira. A sentença deverá ser anunciada em novembro e Whitey pode ser condenado à prisão perpétua. Com 83 anos de idade, ele pode morrer na prisão.

Chefe da máfia irlandesa, ele aterrorizou um bairro de irlandeses católicos em Boston, nas décadas de 1970 e 80, quando liderava a gangue Winter Hill. Whitey garantiu seu poder com a ajuda de policiais federais corruptos que fechavam os olhos para seus crimes em troca de informações que pudessem ser usadas contra integrantes da máfia italiana. Sua história serviu de inspiração para o ator Jack Nicholson protagonizar Os Infiltrados, de Martin Scorsese, ganhador do Oscar de melhor filme.

Leia também:

Chefe mafioso foragido da Itália é detido em Londres

O gângster se negou a testemunhar em sua defesa, alegando que o processo era uma “fraude” porque ele tinha um acordo de imunidade com autoridades federais. A defesa negou a acusação de que ele era informante, dizendo que ele apenas pagou a policiais para obter informações privilegiadas.

A promotoria tentou apresentar indícios de que Bulger estava envolvido em pelo menos dezenove homicídios, mas só conseguiu a condenação referente a onze deles. Antigos associados do criminoso também prestaram depoimentos durante o julgamento e afirmaram que Bulger estrangulou mulheres, assassinou pessoas que ameaçavam revelar as atividades de sua gangue e obteve dinheiro sob ameaça.

O gângster ficou dezesseis anos na lista dos mais procurados do FBI até ser preso em 2011, na cidade de Santa Monica, na Califórnia. Ao ser capturado, ele estava com a namorada Catherine Greig, condenada no ano passado a oito anos de prisão como cúmplice dos crimes de Whitey.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade