Clique e assine a partir de 9,90/mês

Gabrielle Giffords é transferida para centro de reabilitação

Atingida com um tiro na cabeça em um ataque no Arizona, seu quadro é 'bom'

Por Da Redação - 26 jan 2011, 10h00

A deputada democrata Gabrielle Giffords, atingida com um tiro na cabeça no ataque em um comício em Tucson, no Arizona, foi transferida nesta quarta-feira para um centro de reabilitação em Houston, no Texas. O estado de saúde dela foi elevado de “grave” para “bom” pelos médicos.

Uma ambulância transportou a política na manhã desta quarta, sob um forte esquema policial, que mobilizou também um helicóptero. Gabrielle estava na unidade de terapia intensiva desde que chegou a Houston, vinda de Tucson.

Nos 18 dias que se seguiram após a internação da congressista, os relatórios médicos sobre a sua saúde têm sido cada vez mais otimistas. Uma amiga dela, a senadora Kirsten Gillibrand, chegou a dizer que sua recuperação é “extraordinária para uma mulher que sofreu uma lesão tão espantosa”. Gabrielle teve seu cérebro perfurado pela bala e ainda não se sabe se a fala, o equilíbrio e a visão foram afetados pela lesão. Médicos confirmam, porém, que ela já mexe braços e pernas. No centro de reabilitação, espera-se que Gabrielle recupere as capacidades cognitivas.

Jared Lee Loughner, 22anos, acusado de atirar na congressista Gabrielle Giffords
Jared Lee Loughner, 22anos, acusado de atirar na congressista Gabrielle Giffords VEJA

O atirador – O jovem Jared Lee Loughner, suspeito de ser o autor dos disparos contra Giffords e outros seis mortos e 14 feridos, declarou-se inocente na segunda-feira em um tribunal federal das três acusações contra ele. Na semana passada, um grande júri federal o acusou formalmente de três crimes, por tentar matar a congressista americana Gabrielle Giffords e dois de seus assistentes durante o ataque, ocorrido nos arredores de um supermercado em Tucson no dia 8 de janeiro.

Continua após a publicidade

Sua advogada Judy Clarke, ex-defensora do autor do atentado de Oklahoma Timothy McVeigh, e do “Unabomber” Theodore Kaczynski, pediu ao juiz federal Larry A Burns que não declarasse seu cliente culpado das três acusações. A próxima audiência foi fixada para o dia 9 de março. Espera-se que o estado do Arizona e autoridades locais apresentem outras queixas contra o jovem de 22 anos, que pode ser condenado à morte.

(Com agência France-Presse)

Publicidade