Clique e assine a partir de 8,90/mês

Furacão Sandy deve afetar 50 milhões de pessoas nos EUA

Furacão, que avança pelo Atlântico, já deixou pelo menos 61 mortos no Caribe

Por Da Redação - 29 out 2012, 16h39

Autoridades locais americanas calculam que pelo menos 50 milhões de pessoas devem ser afetadas pela passagem do furacão Sandy pelo país. O fenômeno natural, que avança pelo Atlântico, já deixou 61 mortos em sua passagem pelo Caribe na última semana. Nos Estados Unidos, os estados da Costa Leste vem tomando diversas medidas – com a ajuda da população – para tentar minimizar os danos.

Vários estados foram declarados em situação de emergência, o que permitirá a mobilização de recursos e equipes de assistência federais para atender a região. Os estados em emergência são: Delaware, Rhode Island, Pensilvânia, Connecticut, Virgínia, Nova Jersey, Nova York e Maryland, além do distrito de Columbia.

Saiba mais: Furacão Sandy muda planos de candidatos nos EUA

Transportes – O furacão já forçou o cancelamento de pelo menos 9.000 voos desde ontem. E a situação do tráfego aéreo nos EUA poderá ser normalizada somente na próxima semana. Voos com destino ao Brasil ou provenientes de cidades brasileiras também foram afetados.

Diante das más condições do tempo, que prejudicam a visibilidade do motorista, estados como Connecticut, Delaware e New Hampshire, restringiram o acesso às rodovias. Pontos mais propensos a inundações, como túneis, tiveram acesso bloqueado em Nova York. O transporte público nova-iorquino também foi restrito.

Leia mais:

Direção do furacão Sandy coloca grande parte da costa leste americana no caminho

Enchentes – Quase todos os estados que declararam estado de emergência encontram-se preocupados principalmente com a possibilidade de enchentes diante da previsão de fortes ventos e chuvas. Em Maryland, Pennsylvania e Nova Jersey, já são registradas inundações.

Continua após a publicidade

Na cidade de Annapolis, em Maryland, a prefeitura estava distribuindo sacos de areia para ajudar a população a se proteger das enchentes, segundo informações da CNN.

Em Delaware, o governador Jack Markell disse que cerca de 500 pessoas passaram a última noite em abrigos e que foram estipuladas restrições para dirigir na região.

Leia também:

Furacão Sandy recupera força e segue para os EUA

Número de vítimas de Sandy sobe para 41 no Caribe

Atividades suspensas – Em várias cidades, as aulas foram suspensas. Em outras, apesar de empresas estarem funcionando, poucos foram os funcionários que se dirigiram ao local de trabalho. A Suprema Corte não funcionará amanhã.

Na cidade de Nova York, além do transporte público, locais turísticos também foram fechados. A Bolsa de Valores, a Nasdaq e espetáculos da Broadway, símbolos da “cidade que nunca dorme” cancelaram suas atividades durante a passagem de Sandy.

Eletricidade – Especialistas da Universidade Johns Hopkins estimam que o furacão possa deixar 10 milhões de pessoas sem energia, como citado pelo San Francisco Chronicle. Só no estado de Virginia, as autoridades preveem que cerca de 1 milhão de pessoas possam ficar sem energia. Moradores de Connecticut, Delaware, Maryland, Massachusetts, New Hampshire, Nova Jersey, Nova York, Carolina do Norte, Pennsylvania, Rhode Island e da própria Virginia já enfrentam problemas.

Evacuação – Estados como Delaware, New Jersey e a cidade de Nova York já ordenaram a saída de moradores de algumas áreas. A importância do trabalho de evacuação foi ressaltada pelo presidente Barack Obama em pronunciamento nesta segunda-feira: “A mensagem mais importante que eu tenho para o público neste momento é, por favor, ouça o que as autoridades locais e do seu estado estão dizendo. Quando disserem a você para evacuar, você precisa sair. Não demore. Não espere. Não questione as instruções que estão sendo dadas, porque essa é uma tempestade séria”.

Continua após a publicidade
Publicidade