Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Furacão Dorian: Mortes em Bahamas vão a 7; tempestade avança para os EUA

Premiê do país caribenho diz que total de vítimas deve aumentar, enquanto o furacão, em categoria 2, segue lentamente para a costa americana

Por Da Redação 4 set 2019, 02h34

O furacão Dorian avança no início desta quarta-feira 4 lentamente em direção à costa sudeste dos Estados Unidos como uma tempestade perigosa de categoria 2, após deixar um rastro de morte e destruição nas Bahamas.  O primeiro-ministro do arquipélago do Caribe, Hubert Minnis, informou à imprensa que até o momento foram registradas sete mortes. Um boletim anterior divulgado pelo governo indicava cinco falecimentos

“Podemos antecipar que teremos mais vítimas fatais”, afirmou Minnis. Imagens aéreas da ilha Grande Ábaco emitidas pela CNN mostram cenas de danos catastróficos, com centenas de casas sem teto, carros virados, enormes inundações e escombros por todos os lados.

“Esta é uma crise de proporções épicas, talvez a pior que já vivemos”, disse Dames. As pistas do Aeroporto Internacional de Grand Bahama, em Freeport, estavam debaixo d’água, complicando os esforços de resgate.

O site Bahamas Press publicou um vídeo da inundação do Rand Memorial Hospital de Freeport, e disse que os pacientes tiveram que ser evacuados.

A Guarda Costeira dos Estados Unidos enviou helicópteros MH-60 Jayhawk à ilha Andros, no sul do arquipélago, para ajudar com as tarefas de busca e resgate, enquanto os moradores presos em suas casas inundadas faziam chamados desesperados.

Continua após a publicidade

Segundo um primeiro boletim da Cruz Vermelha, cerca de 13.000 casas podem ter sido danificadas ou destruídas, e o furacão causou “danos consideráveis” nas ilhas Ábaco e Grand Bahama.

Pelo menos 61.000 pessoas estariam precisando de ajuda alimentar nas Bahamas, estimou a ONU nesta terça, que se prepara para enviar duas equipes de avaliação.

Extremamente perigoso

Ken Graham, diretor do Centro Nacional de Furacões (NHC) americano, com sede em Miami, disse que Dorian havia começado a se mover após “permanecer em estado estacionário por mais de 24 horas atingindo as Bahamas”.

O furacão, que deixava 760 mm de chuvas no arquipélago, caiu nesta terça para categoria 2, em uma escala máxima de 5, com ventos de 175 km/h, mas continua sendo extremamente perigoso enquanto se desloca a passo lento rumo à costa sudeste dos Estados Unidos, apontou o NHC em seu boletim de 20h.

Acrescentou que se espera que ganhe velocidade e cresça em tamanho durante as próximas horas, e vire para o norte na noite de quarta-feira.

“O furacão se moverá depois perigosamente perto da costa leste da Flórida até quarta-feira à noite, muito perto das costas da Geórgia e da Carolina do Sul na quarta à noite e na quinta, e perto ou sobre a Carolina do Norte na última hora de quinta”.

(Com AFP)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)