Clique e assine a partir de 9,90/mês

Fundação indonésia concede prêmio da paz para Kim Jong-un

'Kim Jong-un deveria ser homenageado por seu combate contra o imperialismo. As afirmações sobre violações dos direitos humanos são falsas', disse diretora da fundação

Por Da Redação - 3 ago 2015, 09h59

O ditador norte-coreano Kim Jong-un receberá um prêmio por “promover a paz e a justiça” concedido pela Fundação Sukarno, da Indonésia. O anúncio foi feito pela filha do primeiro presidente da Indonésia e diretora da Fundação Sukarno, que negou a ocorrência de violações dos direitos humanos na Coreia do Norte.

Rachmawati Sukarnoputri confirmou que Kim Jong-un – criticado por diversos países e pela ONU pelas múltiplas atrocidades e violações aos direitos básicos cometidas em seu país – receberá em setembro o prêmio “pela paz, a justiça e a humanidade” da Fundação Sukarno. “Kim Jong-un deveria ser homenageado por seu combate contra o imperialismo neocolonialista. As afirmações sobre violações dos direitos humanos são falsas. Tudo isto é propaganda ocidental”, disse Rachmawati. “Estes governos ocidentais gostam de atribuir etiquetas horríveis à Coreia do Norte”, completou.

Leia também

Coreia do Norte: programa de TV usa meme de 2010 para criticar EUA

Coreia do Norte afirma ter encontrado cura para MERS, Ebola, Sars e Aids

O pai de Rachmawati Sukarnoputri, o primeiro presidente da República da Indonésia, que proclamou a independência do país em 1945, estabeleceu relações com Pyongyang nos anos 1950 e desde então os países mantêm laços cordiais. A Indonésia recebeu em abril uma delegação deste país, um dos mais fechados do mundo, para um encontro internacional.

O prêmio Sukarno, entregue a dirigentes mundiais por sua promoção da independência e do desenvolvimento, também foi concedido ao avô de Kim, fundador da Coreia do Norte, assim como a Mahatma Gandhi e à líder opositora birmanesa e prêmio Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade