Clique e assine com 88% de desconto

Funcionário da embaixada americana no Iêmen é executado

Ele investigava ataques à embaixada no mês passado, durante onda de revolta

Por Da Redação - 11 out 2012, 08h02

Um funcionário da embaixada dos Estados Unidos no Iêmen foi morto nesta quinta-feira a caminho do trabalho, confirmaram fontes do setor de segurança do país à agência Reuters. Qassem Aqlan, chefe da equipe de segurança da embaixada, foi morto a tiros por homens em uma motocicleta, que usavam máscaras e abriram fogo contra seu carro. O funcionário era iemenita.

“Essa operação tem as impressões digitais da Al Qaeda, que já realizou ações similares”, disse a fonte, que pediu anonimato. A Al Qaeda na Península Árabe, que tem base no Iêmen, e outros grupos terroristas reforçaram sua atuação em áreas do país durante a Primavera Árabe, que terminou por derrubar o presidente Ali Abdullah Saleh, em fevereiro.

Aqlan trabalhava há vinte anos na embaixada americana, na capital Sanaa. Coube a ele, justamente, a chefia das investigações sobre os ataques ao local no mês passado, em meio à onda de revolta provocada pela divulgação de um filme anti-islã. Na ocasião, manifestantes invadiram o prédio da embaixada e queimaram bandeiras dos Estados Unidos. Ele fazia o elo entre os serviços de inteligência iemenita e os representantes americanos.

Caso confirmada a atuação da Al Qaeda na ação, a morte do chefe de segurança faria parte de uma represália contra a atuação dos Estados Unidos no país. Cientes do poder da rede terrorista na região, Washington tem feito ataques com aviões não tripulados para bombardear posições de militantes extremistas.

Publicidade

Saiba mais:

Saiba mais: Iêmen é uma porta escancarada para atuação da Al Qaeda

Al Qaeda e outros grupos militantes reforçaram sua atuação no Iêmen

série de tentativas de assassinato

Publicidade

(Com agência Reuters)

Publicidade