Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

França não descarta nenhuma hipótese em acidente, incluindo o terrorismo

Porta-voz do Ministério do Interior, no entanto, afirmou que a hipótese de um atentado terrorista não é a prioridade da investigação neste momento

O governo da França não descarta nenhuma hipótese, incluindo até mesmo o terrorismo, na investigação sobre as causas do acidente de um avião da companhia alemã Germanwings que caiu com 150 pessoas a bordo nos Alpes franceses, informou o porta-voz do Ministério do Interior, Pierre-Henry Brandet. “Vamos averiguar todas as pistas, incluindo o terrorismo, embora essa última hipótese não seja nossa prioridade”, disse o porta-voz, explicando que, segundo os primeiros indícios, o avião realizou uma “trajetória anormal” antes de cair.

O Airbus A320 fazia o voo 4U 9525, entre Barcelona, na Espanha, e Dusseldorf, na Alemanha, quando às 10h47 do horário local (6h47 de Brasília) enviou um sinal de alerta. Depois disso, a aeronave desapareceu dos radares. A maioria dos 144 passageiros é de nacionalidade alemã. São pessoas que retornavam para suas casas de Barcelona e Palma de Mallorca, segundo informaram funcionários de Swissport, a companhia que presta serviços em terra para a Germanwings. Fontes do aeroporto de Barcelona disseram que foi criada uma operação de atendimento aos parentes dos passageiros que estavam a bordo do voo.

Leia também

Avião com 150 pessoas a bordo cai no sul da França

Merkel diz que está consternada; rei da Espanha cancela visita à França

Airbus A320 já sofreu muitos acidentes

O ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, está se dirigindo ao local do acidente. Segundo o jornal Le Monde, centenas de homens de equipes de resgate, bombeiros e policiais também se dirigem à área da queda do avião. Cazeneuve afirmou que os destroços do Airbus foram localizados em uma região pouquíssimo povoada, a cerca de 2.000 metros de altitude. Segundo a imprensa francesa, os corpos das vítimas serão levados para a cidade de Seyne-Les-Alpes. O porta-voz do Ministério do Interior da França, Pierre-Henry Brandet, disse à emissora de televisão BFM que espera operação de busca e resgate “extremamente longa e difícil” porque a área do acidente é “muito remota”.

O acidente aconteceu na região dos Alpes conhecida por ser local de caminhadas e esqui, mas de difícil alcance para serviços de resgate. Enquanto helicópteros e veículos de emergência chegavam ao local, houve relatos de que as condições climáticas eram ruins. “Haverá muitas nuvens nesta tarde, com tempestades e neve. Isto não vai ajudar os helicópteros em seus trabalhos”, disse um oficial de um centro meteorológico local à agêna Reuters.

(Da redação)