Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

França convoca embaixadores nos EUA e na Austrália em protesto por acordo

Parceria firmada entre países prevê a construção de um submarino movido à propulsão nuclear

Por Ernesto Neves Atualizado em 17 set 2021, 18h18 - Publicado em 17 set 2021, 18h00

A França anunciou nesta sexta-feira que vai convocar seus embaixadores nos Estados Unidos e na Austrália em protesto contra o acordo militar de Aukus. 

Esse acordo inclui ainda o Reino Unido e prevê o desenvolvimento de um submarino movido à energia atômica em território australiano.

Ele foi mantido em segredo por todos os países envolvidos até pouco antes do anúncio, na quarta-feira (15).

Na linguagem diplomática, um governo convoca seus embaixadores em outras nações quando quer demonstrar descontentamento nas relações.

Em nota, o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, afirmo que a decisão foi tomada pelo presidente do país, Emmanuel Macron.

Continua após a publicidade

“A pedido do Presidente da República, decidi chamar de volta imediatamente nossos dois embaixadores nos Estados Unidos e na Austrália a Paris para consultas”, disse Le Drian,

“Esta decisão excepcional é justificada pela gravidade dos anúncios feitos em 15 de setembro pela Austrália e pelos Estados Unidos”, prossegue o chanceler.

No comunicado, Le Drian afirma que a atitude dos Estados e da Austrália representou uma grave quebra de confiança.

Também diz que a parceria Estados Unidos-Austrália resultará no abandono de um acordo submarino anterior firmado entre franceses e australianos.

O que, segundo Le Drian, constitui “comportamento inaceitável entre aliados e parceiros, cujas consequências afetam a própria concepção que temos de nossas alianças, nossas parcerias e a importância do Indo-Pacífico para a Europa”.

Continua após a publicidade
Publicidade