Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Forças de paz da ONU afirmam que Síria vive guerra civil

Pela segunda vez, veículo com equipe de observadores foi alvo de tiros no norte do país

Por Da Redação 12 jun 2012, 15h23

O chefe das forças de paz das Nações Unidas, Herve Ladsous, afirmou nesta terça-feira que o conflito na Síria vive uma guerra civil. “O governo sírio perdeu grande parte do seu território, diversas cidades, para a oposição e quer recuperar o controle”, disse. “Há um aumento significativo do nível de repressão.”

Leia também:

Leia também: Exército sírio usa crianças como escudo, relata ONU

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março de 2011 para protestar contra o regime de Bashar Assad.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram milhares de pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

Continua após a publicidade

A troca de tiros não dá trégua. Somente neste terça-feira, pelo menos 36 pessoas morreram em confrontos, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). As forças do regime de Bashar Assad lançaram bombas em redutos rebeldes na província de Deir Ezzor, no leste; em Aleppo, no norte; e em várias partes da província de Homs, no centro.

Cerca de 120 pessoas morreram em Al-Hafa na semana passada, incluindo 58 soldados, 29 civis e 23 rebeldes, de acordo com o OSDH. Soldados do regime intensificaram seus ataques na cidade de Homs e em seus subúrbios, contra posições dos rebeldes.

Ataque – Foi nesta região – perto da cidade de Al-Hafa, na província de Latakia (noroeste) – que os observadores da ONU mobilizados no país tentavam entrar quando três de seus veículos foram alvejados por tiros. É a segunda vez que o grupo é atacado. Na semana passada, o mesmo ocorreu quando tentavam entrar em Al-Koubeir, perto de Hama.

“Os observadores da ONU que tentavam ir para Al-Hafa enfrentaram uma multidão furiosa que cercou os veículos, impedindo que prosseguissem seu caminho. Essa multidão, que parece ser composta por habitantes da região, lançou pedras e barras de ferro nos carros da ONU”, indicou a Missão de supervisão da ONU na Síria (Misnus) em um comunicado.

“Os observadores recuaram. Três veículos da ONU foram alvos de disparos quando se dirigiam em direção à região de Idleb”, acrescentou o comunicado. “A origem dos tiros ainda não foi esclarecida. Todos os observadores estão em suas bases e ilesos”, prosseguiu o relato, que indica que os observadores “têm tentado desde 7 de junho ir até Al-Hafa, mas foram impedidos pela violência que continua na região”.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade