Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Flórida planeja dar dinheiro a policiais não vacinados de outros estados

Governador republicano Ron DeSantis busca atrair, com bônus de US$ 5 mil, funcionários públicos demitidos em todo o país por se recusarem a tomar imunizante

Por Julia Braun Atualizado em 26 out 2021, 18h41 - Publicado em 26 out 2021, 11h38

O governador da Flórida, Ron DeSantis, anunciou nesta segunda-feira, 25, que pretende aprovar uma legislação para oferecer bônus de 5.000 dólares para policiais não vacinados contra a Covid-19 que aceitem se mudar e trabalhar no estado.

A decisão, segundo o governador, busca “tirar vantagem” do que ele considera um erro cometido por outras cidades dos Estados Unidos que suspenderam os salários de dezenas de policiais e bombeiros que se recusaram a tomar o imunizante. O objetivo é atrair esses trabalhadores para o estado.

“Estamos 100% entusiasmados em dizer que se você está sendo maltratado, desmoralizado e não puder mais aceitar esse ambiente – nós temos vagas aqui”, disse o governador republicano em uma entrevista à emissora Fox News. DeSantis também afirmou que vai continuar lutando contra o passaporte da vacina e as medidas de restrições impostas pela administração federal e governos locais.

“Ninguém deveria perder o emprego por causa dessas injeções”, disse ele. “É uma escolha, mas queremos ter certeza de que estamos protegendo seus empregos e seu sustento.”

Líderes de várias grandes cidades e estados decretaram vacinação obrigatória para os funcionários públicos, determinando que aqueles que não aceitassem tomar o imunizante seriam demitidos. Em Chicago, mais de um terço da força policial de quase 13.000 membros está desafiando a ordem. Em Seattle, seis policiais e 11 bombeiros foram demitidos após o mandato entrar em vigor em 18 de outubro, enquanto outros 93 policiais e 66 bombeiros entraram com processos judiciais para serem isentos da obrigação.

O estado de Massachusetts também determinou que seus 42.000 funcionários públicos fossem obrigados a ser totalmente vacinados até 17 de outubro, mas o sindicato da polícia estadual estimou que pelo menos 150 policiais estaduais devem se demitir diante da ordem. Na cidade de Nova York, a definição da vacina mandatória para funcionários públicos levou a abertura de uma ação judicial pela Associação Benevolente da Polícia local.

No início do mês, o departamento de saúde da Flórida multou o condado Leon, que inclui a capital Tallahassee, em 3,57 milhões de dólares, após a Prefeitura anunciar a demissão de 14 empregados que se negaram a tomar a vacina.

Continua após a publicidade

Publicidade