Fitas secretas revelam insegurança e frustrações de Kim Jong Il

O ex-ditador da Coreia do Norte era obcecado por produções cinematográficas e tinha problemas com sua baixa estatura

Por Da redação - Atualizado em 2 nov 2016, 17h00 - Publicado em 2 nov 2016, 10h39

Áudios secretos do antigo ditador da Coreia do Norte, Kim Jong Il, foram revelados em um documentário sobre o país asiático, lançado no mês passado nos Estados Unidos. Os Amantes e o Déspota, ainda sem data de estreia no Brasil, conta a história da atriz Choi Eun-hee e do diretor de cinema Shin Sang-ok, mantidos reféns do regime norte-coreano durante oito anos. Em uma viagem à Europa, em 1985, o casal levou gravações de conversas com o então ditador, pai de Kim Jong-Un.

Divulgadas pela primeira vez no documentário, as fitas revelam as frustrações de Kim Jong Il com a indústria cinematográfica do país, tema pelo qual tinha obsessão. “Por que há tantas cenas de choro? Todos os nossos filmes têm cenas de choro. Isso não é um funeral”, reclama o ditador, em conversa gravada nos anos 1980. “Na Coreia do Sul, eles têm tecnologias melhores. É como se eles fossem estudantes universitários; nós estamos apenas na pré-escola. As pessoas aqui têm a mente muito fechada”, afirma.

Nascidos na Coreia do Sul, Choi e Shin eram famosos por sua participação no cinema nacional. Ambos foram sequestrados em 1978 por agentes norte-coreanos, a mando de Kim Jong Il, e forçados a fazerem mais de 17 filmes para o ditador. O casal conseguiu fugir para Europa em 1986 e eventualmente chegou aos Estados Unidos.

Mesmo antes de escaparem de vez das mãos do ditador, Choi e Shin gravaram em segredo alguns de seus encontros. Em uma visita à Europa, sob vigia de agentes norte-coreanos, conseguiram contrabandear as primeiras fitas, que eventualmente chegaram ao Departamento de Estado americano. “Fiquei chocado”, disse à rede CNN David Straub, que recebeu as gravações pela primeira vez. “Nunca o tínhamos escutado falar antes, muito menos de forma privada”, comentou.

Publicidade

Insegurança

Hoje com 89 anos, Choi revela no documentário que Kim Jong Il fez piadas com sua própria estatura quando se encontraram pela primeira vez. “Olhe para mim, não sou pequeno?”, teria dito, antes de se comparar a um anão. Historiadores afirmaram que o ditador usava sapatos plataforma para mascarar sua altura.

Publicidade