Clique e assine a partir de 9,90/mês

Filipinas está em estado de calamidade por coronavírus

Mais de 200 pessoas foram contaminadas pelo vírus no país, dentre elas pelo menos 19 morerram em decorrência da doença

Por Da Redação - 18 mar 2020, 11h07

Sob estado de calamidade pública em decorrência do novo coronavírus, as Filipinas anunciaram nesta quarta-feira, 18, que receberão 100.000 kits de teste para o vírus, dentre outros equipamentos, da vizinha China — onde eclodiu a pandemia em dezembro e onde, com 81.116 casos e 3.231 mortes, se concentra 45% das infecções em todo o mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“A China enviará 100.000 kits de teste, 10.000 máscaras N95, 10.000 equipamentos de proteção pessoal e 100.000 máscaras cirúrgicas”, disse o chanceler filipino, Teodoro Locsin Jr., nesta quarta. O arquipélago registrou mais de 200 casos e pelo menos 19 mortes, segundo estimativa do jornal americano The New York Times.

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, instituiu estado de calamidade pública em todo o país pelos próximos seis meses “a menos que seja revogado ou prorrogado antes” em decreto divulgado na terça-feira 17.

Além de acelerar a realocação de fundos para o combate à epidemia no país, o decreto de estado de calamidade impôs uma quarentena sobre toda a ilha de Luzon, onde fica a capital, Manila, a partir de segunda-feira, 23, até 12 de abril — os residentes estão em quarentena doméstica e foram instituídas restrições a viagens e a meios de transporte em massa.

Ainda segundo o decreto, as autoridades de segurança, como as Forças Armadas, também “tomarão todas as medidas necessárias para garantir a paz e a ordem”.

Continua após a publicidade
Publicidade