Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Filho de Kadafi pediu ‘um tiro na cabeça’ ao ser capturado

Por Da Redação 19 nov 2011, 18h58

Autoridades do novo regime líbio garantiram neste sábado que Saif al-Islam terá um julgamento justo, mas não afirmaram se o filho do ex-ditador Muamar Kadafi será entregue à justiça internacional

O último filho foragido do ex-ditador da Líbia, Muamar Kadafi, foi detido neste sábado, no sul da Líbia, por combatentes das forças do Conselho Nacional de Transição (CNT). Ao ser capturado, Saif al-Islam pediu para ser morto, informou Al-Ajmi al-Atiri, chefe da brigada que deteve o fugitivo. O filho de Kadafi estava na região de Wadi al-Ajal, no sul desértico do país.

De acordo com Al-Atiri, um integrante da própria segurança de Saif al-Islam informou sobre seu paradeiro. “Ele nos disse que o filho de Kadafi planejava ir para o Níger”, contou. “Fomos com duas brigadas. Preparamos uma emboscada e esperamos sua chegada”, relatou. “Apareceram dois veículos com seis pessoas a bordo, entre eles Saif al-Islam. Foram detidas depois de pouca resistência.”

“Ao contrário do que foi dito em certos meios, ele não nos ofereceu dinheiro – pediu que déssemos um tiro na cabeça dele e que o levássemos morto”, completou o representante do CNT. “Dizia que foi ferido, tinha três dedos cortados. Saif al-Islam explicou que foi ferido em um bombardeio da Otan”, acrescentou. Os ferimentos ocorreram num bombardeio há um mês, na fuga de Bani Walid.

Al-Islam, de 39 anos, chegou por volta das 16 horas locais (meio-dia em Brasília) ao pequeno aeroporto de Zenten, segundo imagens filmadas por um combatente do CNT. Nas imagens, Saif al-Islam descia do avião em um ambiente caótico enquanto uma multidão de combatentes e curiosos se acotovelavam para vê-lo, filmá-lo e tocá-lo.

Com a barba malfeita, estava vestido com um turbante marrom e tinha alguns dos dedos da mão enfaixados. “Agora ele está em um lugar seguro, está com boa saúde”, disse o representante do CNT. O primeiro-ministro líbio, Abdel Rahim al-Kib, disse apenas que “o prisioneiro está em poder dos combatentes” que o capturaram.

Autoridades do novo regime líbio garantiram neste sábado que Saif al-Islam terá um julgamento justo, mas não afirmaram se o filho do ex-ditador Muamar Kadafi será entregue à justiça internacional para responder pelos crimes contra a humanidade. O Tribunal Penal Internacional já pediu a entrega do prisioneiro à corte.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade