Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Filha dos Clinton defende caçula de Trump de bullying na internet

Barron, 10 anos, também vem sendo alvo de piadas e ataques nos protestos contra o governo de seu pai

Por Da redação Atualizado em 23 jan 2017, 14h54 - Publicado em 23 jan 2017, 11h54

“Barron Trump merece a chance que toda criança tem de ser criança”, escreveu em suas redes sociais Chelsea Clinton, filha de Bill e Hillary. O filho mais novo do presidente americano Donald Trump, Barron, 10 anos, também vem sendo alvo de piadas e ataques nos protestos contra o governo de seu pai. Fotos do menino com cara de tédio ou jogando videogame durante a posse começaram a circular em peso pela internet.

Um dos ataques mais cruéis veio da comediante americana Katie Rich, que disse via Twitter que Barron seria o “primeiro atirador de uma escola em casa”. A referência era em relação às mortes que ocorrem em escolas e universidades americanas. Como nos Estados Unidos é permitido que se curse o ensino médio em casa, a ideia é que Barron provocaria um tiroteio dentro da Casa Branca.

  • Os posts de Chelsea, que também era jovem quando o pai assumiu o mandato em 1993, receberam milhares de respostas, a grande maioria positivas. Boa parte das mensagens lembrava que uma criança deveria estar acima das disputas políticas.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade