Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Filha de Trump usou e-mail privado para tratar de assuntos da Casa Branca

Conta pessoal foi usada para negócios do governo pelo menos cem vezes em 2017; democratas comparam caso com o de Hillary Clinton, que veio a público em 2016

Os democratas pediram nesta terça-feira, 20, uma investigação sobre a filha do presidente dos Estados Unidos e conselheira da Casa Branca, Ivanka Trump, após relatos do uso indevido e repetitivo de uma conta de e-mail pessoal para negócios do governo em 2017.

Uma análise da Casa Branca constatou que Ivanka usou sua conta pessoal centenas de vezes para contatar outros funcionários da administração de Donald Trump, informou o jornal The Washington Post na segunda-feira, 19.

O presidente Trump criticou repetidamente sua rival democrata, Hillary Clinton, na campanha presidencial de 2016 por ela ter usado e-mail pessoal e um servidor privado enquanto era secretária de Estado dos EUA no governo de Barack Obama, e prometeu investigá-la quando estivesse no cargo.

O gabinete de Elijah Cummings, principal democrata no Comitê de Supervisão da Câmara, afirmou que planeja “continuar nossa investigação do ato dos registros presidenciais e dos registros federais, e queremos saber se Ivanka cumpriu a lei”.

O comunicado também informou que uma investigação da Casa Branca foi iniciada em 2017, mas acabou abandonada por republicanos que atualmente controlam o comitê.

Peter Mirijanian, porta-voz do advogado de Ivanka, Abbe Lowell, disse ao The Washington Post que seu uso de e-mail pessoal era diferente do caso de Hillary Clinton porque não havia servidor privado, nenhuma das mensagens continha informações confidenciais e foram enviadas antes que ela soubesse dos regulamentos de manutenção de registros do governo.

O porta-voz ainda ressaltou que Ivanka entregou todos os seus e-mails relacionados ao governo meses atrás para que eles pudessem ser armazenados com outros registros da Casa Branca.