Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Fidel diz que relatório da AIEA coloca o mundo à beira de uma guerra nuclear

Por Roberto Chile 13 nov 2011, 12h51

O líder cubano Fidel Castro afirmou que o recente informe sobre o Irã da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) coloca o mundo à beira de uma guerra nuclear preparada por Estados Unidos, Grã Bretanha e Israel contra esse país, em artigo publicado neste domingo na imprensa oficial.

“O estranho é que apenas a Otan deu por concluída a operação na Líbia (no final de outubro), a AIEA lançou um informe político, tarifado e sectário, que coloca o mundo à beira da guerra com uso de armas nucleares”, afirma Fidel, na na primeira parte de um artigo intitulado “Cinismo Genocida”.

O líder comunista, de 85 anos, destacou que desta forma, a agência, um “órgão das Nações Unidas que deveria estar a serviço da paz mundial, apóia a guerra atômica que o império yanki, em uma aliança com a Grã Bretanha e Israel, vem preparando minuciosamente contra o Irã”.

“Depois do ‘Veni, vidi, vici’ do famoso imperador romano (…), traduzido para ‘vim, vi e morreu’ transmitido ao público” por uma “importante cadeia de televisão” sobre a morte do líder líbio, Muammar Kadhafi, “sobram palavras para caracterizar a política dos Estados Unidos”, afirmou Castro.

Em seu relatório divulgado na terça-feira, a AIEA expressa muita preocupação sobre uma eventual dimensão militar do programa nuclear iraniano.

Continua após a publicidade
Publicidade