Clique e assine com 88% de desconto

Fidel Castro foi ‘um líder de convicções’, diz Temer

Lula e Dilma Rousseff também se manifestaram sobre a morte do ex-ditador cubano

Por Da redação - Atualizado em 26 nov 2016, 12h36 - Publicado em 26 nov 2016, 12h25

Em breve nota, o presidente Michel Temer declarou que Fidel Castro, morto na noite desta sexta (25), foi um “líder de convicções”.

“Fidel Castro foi um líder de convicções. Marcou a segunda metade do século XX com a defesa firme das ideias em que acreditava”, afirmou Temer, em breve comunicado.

O governo ainda não confirmou se haverá representação brasileira nos funerais do ex-ditador.

O corpo do líder da revolução cubana será cremado e foi decretado luto oficial de 9 dias no país caribenho, período que deve se encerrar com o funeral, no dia 4 de dezembro.

Publicidade

 

“Visionário”

A ex-presidente Dilma Rousseff também se manifestou na tarde deste sábado (26). “Fidel foi um dos mais importantes políticos contemporâneos e um visionário que acreditou na construção de uma sociedade fraterna e justa, sem fome nem exploração, numa América Latina unida e forte”, disse, em nota. 

Seu colega de Partido dos Trabalhadores, Lula também demonstrou reverência e entusiasmo pela trajetória do ditador cubano.

Publicidade

O ex-presidente disse que seu relacionamento com o cubano, de quem é amigo desde a década de 1980, foi “afetuoso e intenso, baseado na busca de caminhos para a emancipação de nossos povos”.

“Sinto sua morte como a perda de um irmão mais velho, de um companheiro insubstituível, do qual jamais me esquecerei”, afirmou, em sua página no Facebook.

(Com EFE e Reuters)

Publicidade