Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

FBI faz operação de busca na casa do presidente Joe Biden

Advogados do presidente dos EUA disseram que a busca foi 'planejada', e que Biden 'cooperou totalmente'

Por Da Redação
1 fev 2023, 12h20

O FBI, agência de polícia do governo dos Estados Unidos, conduziu uma operação de busca na casa do presidente Joe Biden nesta quarta-feira, 1. A residência em Rehoboth Beach, no estado de Delaware, foi vasculhada como parte de uma investigação sobre documentos sigilosos do Estado, que foram encontrados em um antigo escritório de Biden.

“Hoje, com total apoio e cooperação do presidente, o Departamento de Justiça está realizando uma busca planejada em sua casa em Rehoboth, Delaware”, disse o advogado pessoal de Biden, Bob Bauer, em comunicado.

“De acordo com os procedimentos padrão do Departamento de Justiça, no interesse da segurança e integridade operacional, ele procurou fazer esse trabalho sem aviso público prévio e concordamos em cooperar”, disse Bauer. “A busca hoje é mais um passo em um processo completo e oportuno do Departamento de Justiça que continuaremos a apoiar e facilitar totalmente. Teremos mais informações na conclusão da busca de hoje.”

A busca do FBI nesta quarta-feira é a terceira vez que agentes federais revistam propriedades associadas a Biden em busca de documentos secretos. No dia 20 de janeiro, foram encontrados vários itens contendo informações sigilosas em sua casa em Wilmington, também no estado de Delaware.

Antes disso, o FBI vasculhou o escritório pessoal de Biden no think tank Penn Biden Center, em Washington, em novembro passado. A operação ocorreu depois que os advogados de Biden encontraram arquivos confidenciais do governo em um armário trancado do escritório e notificou as autoridades.

Continua após a publicidade

Biden comprou sua casa em Rehoboth depois de deixar a vice-presidência. Ele e a primeira-dama, Jill, costumam passar alguns fins de semana lá – mais recentemente, de 20 a 23 de janeiro.

Também nesta quarta-feira, o Departamento de Justiça anunciou que o conselheiro especial Robert Hur, escolhido pelo procurador-geral Merrick Garland para assumir o caso dos documentos de Biden, começou oficialmente seu trabalho.

Hur anteriormente atuou como procurador dos Estados Unidos em Maryland, cargo ao qual foi nomeado pelo então presidente, Donald Trump. Os democratas esperam que o fato dele ter sido indicado pelo líder republicano ajude a dar mais credibilidade à investigação aos olhos da oposição.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.