Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

FBI detém jovem de 19 anos que planejava ir à Síria para ajudar jihadistas

Shannon Conley iria se casar com um extremista sírio e já tinha até comprado passagem, mas foi denunciada por seu pai. EIIL consolida domínio do leste sírio

A Polícia Federal dos Estados Unidos (FBI, na sigla em inglês) prendeu em abril uma jovem que planejava viajar para a Síria para se casar com um insurgente do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) e oferecer seu apoio ao grupo radical, informa a CNN citando documentos divulgados nesta quarta-feira. O FBI acusa Shannon Maureen Conley, uma jovem de 19 anos do estado do Colorado, de tentar se juntar aos extremistas sunitas que se apoderaram de partes do Iraque e da Síria.

Segundo as autoridades, a jovem planejava se juntar a jihad (guerra santa) e, caso não fosse possível por sua condição de mulher, tinha previsto utilizar seus conhecimentos de enfermeira a serviço do EIIL. O FBI afirmou que começou a investigar Shannon Maureen em novembro do ano passado. O pai da jovem, John Conley, telefonou para o FBI em abril para relatar que sua filha tinha uma passagem de ida para a Síria, saindo do aeroporto internacional de Denver, marcada para o dia 8 de abril. Os agentes federais a prenderam naquele mesmo dia.

Leia também

Conflito no Iraque já deixou 1,2 milhão de refugiados no país, aponta ONU

Primeira reunião do parlamento iraquiano termina sem escolha do presidente

EUA decidem reforçar presença militar no Iraque

O FBI também relatou que dois de seus agentes tentaram dissuadir a jovem de se juntar às atividades violentas e a convidaram a deixar de lado seus planos de dar suporte para ações terroristas, segundo o texto de um depoimento divulgado nesta quarta-feira. “Quando foi perguntada se ainda queria seguir adiante com seus planos, sabendo que eles eram ilegais, Shannon Maureen respondeu que sim”, afirma o documento. (Continue lendo o texto)

‘Estado islâmico‘ – O EIIL já controla praticamente toda a província de Deir ez Zor, no leste da Síria, dominando uma área cinco vezes maior que o Líbano, informou nesta quinta o Observatório Sírio de Direitos Humanos. Segundo a ONG sediada em Londres, que cita ativistas no local, o EIIL também controla a cidade de Al Mayadin, o principal centro urbano da província. O avanço aconteceu depois que os combatentes da Frente Al Nusra, braço da Al Qaeda na Síria, e outras facções se retiraram da região após anunciar que abandonavam a luta contra o EIIL.

No norte, os extremistas dominam grande parte da fronteira entre Síria e Turquia, excetuando lugares de maioria curda, como áreas da província de Al Hasaka, e de alguns povos árabes. Pelo sul, chegam até áreas desérticas das províncias centrais de Hama e Homs.

No domingo passado, o EIIL proclamou um califado islâmico na Síria e no Iraque, após tomar partes do norte e do centro do território iraquiano durante o último mês. Desde janeiro, o EIIL enfrenta vários grupos rebeldes do norte da Síria, entre eles a Frente Al Nusra, embora nos últimos dias algumas facções tenham anunciado que mudaram de lado e deixariam de lutar contra a organização jihadista sunita liderada pelo terrorista Abu Bakr al Baghdadi.

(Com agências Reuters e EFE)