Clique e assine a partir de 9,90/mês

Fazendeiros milicianos ocupam parque nos EUA e se recusam a sair

O grupo ocupa o parque Malheur National Wildlife Refuge, no Oregon, desde sábado em apoio a dois fazendeiros condenados a cinco anos de prisão por um crime ambiental

Por Da Redação - 5 Jan 2016, 08h41

Centenas de homens armados decidiram nesta terça-feira permanecer em um parque nacional no Estado de Oregon, extremo sudoeste dos Estados Unidos, em protesto pela condenação de dois fazendeiros. Dwight e Steve Hammond – fazendeiros multados e condenados por terem incendiado matas sem permissão em terreno federal – se entregaram nesta segunda às autoridades na prisão federal de Terminal Island em San Pedro, na Califórnia. O grupo ocupa o parque Malheur National Wildlife Refuge no sábado em apoio a Dwight Hammond , 73, e seu filho Steven, 46. Os dois se entregaram às 13h37 local (19h37 Brasília) às instituições carcerárias da Califórnia, informou David Ward, xerife do condado de Harney, onde está o parque.

O porta-voz dos milicianos, Ammon Bundy, filho do pecuarista Cliven Bundy, que em 2014 protagonizou um confronto similar com as autoridades em Nevada, garantiu que a família Hammond está há anos sofrendo perseguição das autoridades por se recusar a devolver as terras. Bundy prometeu que as ações de seu grupo, autodenominado ‘Cidadãos por uma Liberdade Constitucional’ (Citizens for Constitutional Freedom), são pacíficas e vão prosseguir por tempo indeterminado. O FBI (a polícia federal americana) descarta no momento qualquer tentativa de retomada do parque, mas trabalha junto com policiais locais para convencer os milicianos a deixaram o local pacificamente.

Leia também

Obama vai anunciar medidas para controlar venda e posse de armas nos EUA

Continua após a publicidade

Em seu último ano de mandato, Obama vai lutar para ampliar seu legado

Em mensagem de Natal, Obama faz homenagem a tropas americanas

Além disso, Bundy justificou o uso das armas como um dos direitos protegidos pela Constituição americana. “É importante para nós suportarmos e que as pessoas entendam que nós levamos isso muito a sério”, disse em comentários divulgados pela emissora ABC. Os Hammond, no entanto, se distanciaram do movimento de milícia afirmando publicamente sua decisão de cumprir a lei.

“Dwight e Steven Hammond respeitam a lei. Eles estão há cinco anos litigando esta questão nos tribunais federais. Como os Hammond disseram, hoje [segunda-feira] se apresentarão ao Bureau of Prisons para cumprir sua sentença”, disseram seus advogados em comunicado. Os Hammond foram condenados em 2012 por provocar vários incêndios, mas recorreram a pena inicial de cinco anos ao alegar que era inconstitucional. À época, a Justiça lhes deu razão e impôs uma pena menor, que ambos cumpriram. Mas uma corte de apelações negou a decisão e ditou a favor da primeira condenação, obrigando pai e filho a voltarem à prisão.

Continua após a publicidade

Provocação – O xerife Dave Ward disse no domingo que as ações da milícia eram uma provocação às autoridades. “Estes homens do condado de Harney, que reivindicam sua participação numa milícia que apoia os agricultores locais, tem na verdade motivações completamente diferentes”, afirmou. Na imprensa americana, alguns articulistas compararam as ações dos milicianos às de terroristas que invadem locais públicos armados e desafiam governos.

(Da redação)

Publicidade