Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Favorito ao cargo de premiê, Boris Johnson não comparece a debate

Adversários do ex-prefeito de Londres criticaram o conservador por "evitar confronto"; substituto de Theresa May será anunciado no final de julho

Os candidatos ao cargo de primeiro-ministro do Reino Unido criticaram seu adversário, o ex-prefeito de Londres Boris Johnson, por não comparecer ao primeiro debate eleitoral transmitido no domingo 16 pelo canal de televisão Channel 4.

Disputando a liderança do Partido Conservador, os britânicos afirmaram que Johnson, considerado o favorito para substituir a primeira-ministra interina, Theresa May, está “tentando evitar o confronto.”

“Onde está Boris?”, questionou o secretário de Relações Exteriores, Jeremy Hunt, o segundo concorrente mais forte, enquanto ele e outros quatro candidatos respondiam perguntas sobre como conseguiriam tirar o Reino Unido da União Europeia sem maiores prejuízos à economia. O candidato acrescentou que o país deve escolher “um primeiro-ministro a quem famílias de todo o país possam confiar seus futuros.”

O secretário do Interior, Sajid Javid, afirmou que “como conservadores, devemos apoiar competição e não coroação”, enfatizando que Johnson não deveria se apoiar na vantagem numérica e sim incentivar uma disputa mais “robusta”.

Os candidatos presentes no debate foram unânimes ao prometer realizar o Brexit, desviando das propostas da oposição trabalhista, liderada por Jeremy Corbyn, para a realização de um segundo referendo.

A data inicial para a saída britânica do bloco econômico era o dia 29 de março, mas o processo foi adiado para 31 de outubro depois do Parlamento rejeitar por três vezes o acordo entre May e a União Europeia.

“Acredito que eu sou o candidato mais confiável para nos tirar da União Europeia até o fim de outubro”, disse Dominic Raab, ex-secretário do Brexit. Ele ainda não descartou dissolver o Parlamento para forçar a saída do bloco, caso os atuais parlamentares tentem bloqueá-la. Os demais candidatos discordaram da ideia.

O secretário de Meio Ambiente, Michael Gove, declarou estar confiante de que pode “fazer a União Europeia mudar sua abordagem” e negociar um novo acordo, apesar de autoridades do bloco terem negado a possibilidade de mudanças nos termos discutidos com May.

Último integrante do debate, Rory Stewart, secretário de Desenvolvimento Internacional do atual governo, destacou sua desaprovação em relação a um Brexit sem acordo que, segundo ele, seria “profundamente prejudicial”.

Os 313 parlamentares do Partido Conservador irão reduzir o número de candidatos ao cargo de premiê com uma série de votações esta semana. No momento, seis candidatos ainda estão na disputa.

O concorrente menos votado será eliminado ao fim de cada rodada e os dois últimos nomes passarão por uma eleição na qual poderão votar os cerca de 160 mil membros do partido em todo o país. Boris Johnson aceitou participar de um debate da BBC na terça-feira, 18, que já terá menos candidatos. O sucessor de May será anunciado na semana do dia 22 de julho.

(com Agência Brasil)