Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Família Real nega que rainha encontrou-se com mulher envolvida em escândalo com príncipe

A assessoria do Palácio de Buckingham deu uma declaração após um tabloide publicar entrevista com o pai da mulher que teria se envolvido com Andrew

O Palácio de Buckingham, residência oficial da família real britânica, informou nesta segunda-feira que não tem conhecimento de que a rainha Elizabeth II se encontrou em uma ocasião com a mulher que teria sido obrigada a manter relações sexuais com o príncipe Andrew quando era menor de idade. O duque de York, terceiro filho da rainha e quinto na linha sucessória do trono britânico, foi mencionado em um processo nos Estados Unidos sobre abusos de menores.

A imprensa britânica identificou como Virgínia Roberts a mulher que teria tido relações com o príncipe quando ela era menor. O pai da mulher, Sky Roberts, disse ao tabloide Daily Mail que sua filha conheceu o príncipe Andrew quando visitou Londres e que enquanto estava na capital britânica encontrou a rainha. “Não há nada que sugira que a afirmação seja certa. Não temos nenhum registro de um encontro assim”, afirmou um porta-voz do palácio.

Leia também

Príncipe Andrew é acusado de abuso de menor; Família Real nega

A mulher afirma que Epstein a obrigou a manter relações sexuais com o duque de York quando tinha 17 anos. Segundo ela, as relações ocorreram em três ocasiões, em Londres, Nova York e em uma ilha privada do Caribe de propriedade de Epstein. A denunciante alega que o banqueiro americano Jeffrey Epstein, amigo de Andrew e condenado em 2008 a um ano e meio de prisão por prostituição de menores, a apresentou a “amigos ricos e poderosos” como uma “escrava sexual”.

A Polícia Metropolitana de Londres informou que não recebeu nenhuma denúncia, mas deixou claro que investigará o caso se for acionada. O duque de York é uma das figuras mais controvertidas da família real britânica. Em 2011, ele foi retirado do posto de enviado especial da Grã-Bretanha para atrair investimentos estrangeiros ao país após ser revelada sua amizade com Epstein e seus altos gastos, custeados pelos contribuintes britânicos.

(Com agência EFE)