Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Família diz que atirador de Toronto sofria de ‘sérios problemas mentais’

Criminoso foi identificado como Faisal Hussain, de 29 anos; motivação para ataque ainda é investigada

A Polícia do Canadá identificou nesta segunda-feira (23) o autor dos disparos que mataram duas pessoas e deixaram outras treze feridas em Toronto na noite de ontem.

Faisal Hussain, de 29 anos, teria sido o responsável pelo ataque e morreu após confronto com os agentes. No entanto, as autoridades canadenses não esclareceram se ele morreu devido aos disparos dos policiais ou se cometeu suicídio.

Em nota, a família de Hussain expressou condolências às vítimas e disse que ele sofria de sérios problemas mentais. Segundo os parentes, ele lutou contra a depressão ao longo de sua vida, mas medicamentos e terapia não foram suficientes para tratá-lo.

“Embora tenhamos feito o que podíamos para buscar ajuda durante toda uma vida de luta e sofrimento, nunca imaginamos que este seria seu devastador e destrutivo fim”, diz o comunicado divulgado.

No final do domingo, 22, Hussain abriu fogo contra clientes de restaurantes e cafés das avenidas Danforth e Logan, no bairro residencial de Greektown. Ele disparou pelo menos trinta vezes.

Uma menina de 10 anos e uma mulher de 18 foram mortas. Outras treze pessoas ficaram feridas. A polícia não identificou as duas garotas mortas no ataque, porém um político local, Nathaniel Erskine-Smith, confirmou que a vítima de 18 anos era Reese Fallon, uma estudante que planejava estudar enfermagem.

“Nós não sabemos por que isso aconteceu”, disse o chefe da polícia de Toronto, Mark Saunders, a repórteres nesta segunda-feira, acrescentando que não vai especular sobre o motivo do atirador. “É muito cedo para descartar qualquer coisa.”

Toronto está enfrentando um aumento acentuado nos episódios de violência com armas neste ano. Até o momento as mortes provocadas por armas saltaram de 26% para 53%, em comparação com o mesmo período do ano passado, é o que mostraram dados da polícia na semana passada, e o número de tiroteios subiu 13%.

Também nesta segunda um homem foi preso após tentar esfaquear um membro da guarda cerimonial do Parlamento, em Ottawa, a capital do país.

Armado com uma faca, o homem foi detido pouco depois das 10h15 (11h15 no horário de Brasília) em frente ao Parlamento no momento da troca da guarda, segundo o Ministério da Defesa canadense.

(Com agências internacionais)