Clique e assine a partir de 9,90/mês

Facebook vai remover anúncios enganosos da campanha de Trump

Sob disfarce de censo, postagens levavam usuário ao portal do Partido Republicano e a pedidos de informações pessoais e de doações

Por Da Redação - Atualizado em 30 jul 2020, 19h27 - Publicado em 5 mar 2020, 20h14

O Facebook anunciou nesta quinta-feira, 5, que removerá uma série de anúncios enganosos da campanha de reeleição de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos. O comitê de campanha do republicano publicou 2.000 postagens pagas na segunda-feira 2 e na terça-feira 3 pedindo aos usuários para respondem a um suposto “Censo Oficial do Distrito Congressional”. Mas a finalidade era arrecadar fundos.

Em vez de ser direcionado ao Departamento do Censo do país, o usuário se deparava com pesquisa de opinião no portal de arrecadação de doações do Partido Republicano, que também solicitava informações pessoais.

Por exemplo, ao fazer perguntas como “Você acha que Nancy Pelosi [líder da Câmara] e a Esquerda Radical estão colocando sua agenda pessoal anti-Trump à frente do que é o melhor para o povo americano?”, o site solicita as informações de contato do usuário.

Segundo o jornal britânico The Guardian, a ação pode interferir no censo verdadeiro, que começa para a maioria dos americanos em março por meio de mala direta. A pesquisa acontece uma vez a cada década e tem impactos drásticos nas decisões do governo sobre a alocação de recursos.

A política declarada do Facebook sobre a desinformação acerca do censo americano proíbe “deturpação de datas, locais, horários e métodos de participação no censo”. Mas a plataforma só começou a remover as postagens enganosas nesta quinta-feira, após pressão da imprensa e de ativistas sociais.

No ano passado, o Facebook anunciou que iria dobrar a fiscalização sobre desinformação no período das eleições americanas, que terminam em novembro.

Continua após a publicidade
Publicidade