Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Extremistas islâmicos tentam recrutar refugiados sírios na Alemanha

Os jihadistas foram aconselhados a convencer os refugiados com presentes e doações

Grupos de extremistas islâmicos na Alemanha estão tentando recrutar refugiados sírios para a sua causa, informou a segurança doméstica do país nessa quinta-feira. O aviso veio após um dos mais conhecidos pregadores islâmicos da Alemanha publicar uma lista de sugestões sobre as melhores maneiras de se aproximar e convencer os refugiados. Pierre Vogal, antigo lutador de boxe que se converteu ao islamismo, aconselhou seus seguidores a levarem presentes e doações até os abrigos de refugiados e se voluntariarem para trabalhar pela causa, informou o jornal britânico Telegraph. Caso as ofertas sejam recusadas, eles devem ir atrás dos refugiados recém-chegados em mesquitas.

Leia também:

Alemanha recebeu quase 450.000 refugiados desde janeiro

EUA se comprometem a receber mais refugiados sírios

Comissão Europeia quer redistribuir 160 mil imigrantes entre países da UE

Os serviços de segurança locais temem que os extremistas estejam tentando privar os refugiados de interagir com a sociedade alemã. Um porta-voz do Escritório para a Proteção da Constituição (BFV, na sigla em inglês) disse ao jornal local Welt que estão trabalhando de perto com o pessoal dos abrigos para deixá-los cientes do problema. A maioria dos incidentes aconteceu na região da Vestfália, no Estado da Renânia do Norte, o mais populoso da Alemanha. “Ainda não é um fenômeno em massa”, disse Jörg Rademacher, porta-voz do governo do estado, a uma agência de notícias locais.

Descrito como “o pregador salafista [movimento reformista radical islâmico] mais influente da Alemanha”, Vogel nega qualquer ligação com grupos jihadistas. Contudo, em junho desse ano, a polícia alemã invadiu a casa onde o religioso morava e prendeu um suspeito de terrorismo que estava escondido. Os discursos públicos do pregador foram proibidos pelas autoridades locais diversas vezes. Em 2011, ele tentou organizar orações fúnebres públicas para Osama bin Laden.

(Da redação)