Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Exposição de fotos de Cecil Beaton lembra jubileu de Elizabeth II

Londres, 6 fev (EFE).- As distintas facetas de Elizabeth II da Inglaterra como princesa, rainha e mãe são mostradas em quase 100 retratos do britânico Cecil Beaton, expostos a partir desta quarta-feira no Museu Victoria and Albert de Londres.

A exposição ‘Queen Elizabeth II by Cecil Beaton: A Diamond Jubilee Celebration’, que coincide com o 60º aniversário de Elizabeth II no trono, percorre diferentes momentos da vida da soberana capturados com a lente de Beaton (1904-1980).

A coleção inclui várias instantâneas até agora não mostradas ao público, assim como diversos extratos de jornais, cartas e cadernos de notas reunidos pelo fotógrafo, após ter mantido conversas pessoais com Elizabeth II.

Esta mostra, que compila majoritariamente fotos em preto e branco, reflete a ‘relação duradoura’ que manteve durante toda sua vida o artista britânico com a soberana da Inglaterra.

‘Tentamos contar a história da família real durante os anos da (II) guerra (mundial) assim como a maneira com a qual Beaton ajudou a promover a monarquia’, explicou nesta segunda-feira a responsável pela mostra, Susanna Brown.

Segundo esta especialista, as imagens de Beaton, ‘o melhor fotógrafo real de sua geração’, e que também trabalhou como fotógrafo de moda, refletem precisamente parte da ‘teatralidade’ que o artista estava acostumado durante suas sessões fotográficas para a revista ‘Vogue’, com a qual colaborava.

Seus retratos de Elizabeth II ‘não só foram publicados na imprensa britânica, mas no mundo todo, em lugares tão distantes como a Austrália e a Índia e com eles pretendia dar à monarquia um impulso em suas relações públicas’.

‘Este era realmente o propósito das fotos. Não eram fotografias de família mas estavam destinadas a serem vistas pela imprensa mundial’, afirmou Brown.

Nas diferentes seções nas quais a exposição é dividida, são incluídas imagens em preto e branco da época de Elizabeth II como princesa, que pretendiam projetar uma imagem ‘estável’ da monarquia.

Outros retratos são mais centrados no papel de Elizabeth II como soberana, vistos na seção ‘Coroação’, a parte central da mostra, na qual também são incluídos extratos de notas escritas pelo fotógrafo em um balcão na Abadia de Westminster ou fotos da rainha acompanhada de suas damas de honra.

Outra parte da mostra entitulada ‘A próxima geração’ une cenas íntimas da família real, como uma fotografia na qual a rainha está segurando em seus braços o príncipe Charles em 1948, quando ele era apenas um bebê.

Posteriormente, Elizabeth II pediria a Beaton que retratasse cada um de seus filhos logo após nascer: a princesa Ana em 1950, o príncipe Andrew, em 1960 e o príncipe Edward, em 1964.

‘(As fotos) transmitem a versatilidade de Beaton como fotógrafo que se sentia igualmente cômodo quando retratava a família real em cenas mais familiares, mas também em atos oficiais’, disse Brown.

Apesar das fotografias transmitirem uma imagem majestosa, elegante e muito cuidada de Elizabeth II e outros membros da realeza, a própria soberana agradece a Beaton mediante uma carta manuscrita – exposta no museu – que ele tenha conseguido retratar a família real ‘como gente normal e bastante agradável’. EFE