Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Explosão de carro-bomba mata 11 em posto de Damasco

Regime sírio culpou 'terroristas' pelo atentado, que também deixou 40 feridos

Por Da Redação 4 jan 2013, 03h44

Pelo menos onze pessoas morreram e quarenta ficaram feridas quando um carro-bomba explodiu nesta quinta-feira em um posto de combustível em Damasco, capital da Síria. O atentado aconteceu no distrito de Barzeh al-Balad, bairro que abriga uma importante comunidade alauíta, minoria religiosa da qual faz parte o ditador Bashar Assad.

Leia também:

Bombardeio a posto de gasolina mata dezenas na Síria

Mais de 60.000 morreram durante conflito sírio, diz ONU

De acordo com o grupo opositor Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), diversos dos feridos estão em estado grave e há crianças entre as vítimas. A agência de notícias oficial do regime, Sana, classificou a explosão como um “atentado terrorista”. Imagens de uma das emissoras de televisão do país mostravam corpos carbonizados após a explosão e membros das equipes de resgate procurando sobreviventes no local.

Racionamento – Por causa da situação de guerra civil no país, a Síria vive um amplo racionamento de combustível e os motoristas costumam formar enormes filas nos postos para abastecer. “O posto fica normalmente lotado mesmo quando não tem combustível. Há muitas pessoas que dormem lá à noite, à espera das entregas da manhã”, relatou um ativista que mora perto do local do atentado à agência Reuters.

A explosão de quinta acontece um dia depois que aviões do regime realizaram um ataque aéreo sobre um posto de gasolina dominado por rebeldes no subúrbio de Damasco. O bombardeio deixou pelo menos trinta mortos.

De acordo com os números do OSDH, apenas na quinta-feira, os combates entre rebeldes e tropas do governo no país deixaram 160 mortos, incluindo 72 civis. Desde o início do conflito, em março de 2011, mais de 60.000 pessoas já morreram, segundo a ONU.

(Com agências Reuters e France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade