Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Exército sudanês mata líder rebelde de Darfur

Por Ibrahim al-Omari 25 dez 2011, 16h21

O Exército sudanês anunciou neste domingo a morte do líder rebelde de Darfur Khalil Ibrahim, chefe do Movimento pela Justiça e a Igualdade (JEM), três dias após o grupo anunciar uma marcha sobre Cartum para derrubar o regime.

“O Exército sudanês matou Khalil Ibrahim em combates no oeste de Wadbanda, no Kordofan do Norte”, na zona da fronteira com Darfur Norte, revelou a agência oficial SUNA.

Segundo um oficial, os confrontos em Wadbanda deixaram mais de 30 mortos entre os rebeldes.

Ibrahim, 54 anos, dirigia o JEM, o mais armado grupo de rebeldes de Darfur, região do oeste do Sudão devastada pela guerra civil.

O porta-voz do JEM, Gibril Adam Bilal, confirmou a morte de Khalil Ibrahim em um ataque aéreo “no dia 23 de dezembro, às três da madrugada”.

Continua após a publicidade

O JEM anunciou na quinta-feira o início de seu avanço de Darfur para o leste, em direção a Cartum, com o objetivo de derrubar o presidente Omar al Bashir.

O ministro sudanês da Informação, Abdullah Ali Massar, revelou neste domingo que os combates prosseguem nas zonas de fronteira entre Darfur Norte e Kordofan do Norte.

Ibrahim apoiou o golpe de Estado do presidente Al Bashir em 1989, mas depois se rebelou contra o governo e fundou, no final dos anos 90, um grupo de dissidentes que denunciava o “domínio” dos árabes na vida política e econômica do país.

O JEM se recusou a firmar o acordo de paz de Darfur, em maio de 2006, por considerar que “as medidas sobre a divisão de recursos e do poder não correspondiam às causas profundas da rebelião: desigualdade estrutural entre o centro (Cartum) e as regiões periféricas”.

Ao menos 300 mil pessoas morreram e 1,8 milhão foram deslocadas desde o início, em 2003, do conflito em Darfur, segundo as Nações Unidas.

Continua após a publicidade
Publicidade