Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Exército egípcio promete vingar guardas assassinados

Terroristas mataram 16 policiais em posto próximo à fronteira Israel-Egito

Por Da Redação 6 ago 2012, 09h13

O Exército egípcio prometeu nesta segunda-feira “vingar” os 16 guardas de fronteira assassinados no domingo em um ataque no Sinai atribuído a “terroristas”. Os criminosos – armados com granadas, metralhadoras e lança-foguetes – atacaram um posto próximo da fronteira Israel-Egito no domingo e tentaram fugir pelo território israelense, mas foram detidos e cinco deles foram mortos, segundo o Exército local.

“Juramos em nome de Deus que vamos vingá-los”, afirmou o Conselho Supremo das Forças Armadas (CSFA) em um comunicado divulgado pela agência oficial Mena. “Os egípcios não terão que esperar muito para ver a reação a este ataque cometido por terroristas”, diz a nota. “Qualquer pessoa vinculada a grupos que atacaram nos últimos meses as nossas tropas no Sinai pagará caro por isto, esteja no Egito ou no exterior”, completa o Exército egípcio.

A região do Sinai é conhecida por abrigar militantes terroristas ligados ao grupo radical Hamas e tem pouca presença do governo egípcio. A situação é mais delicada devido à pequena presença do Exército após a desmilitarização da área em consequência dos acordos de paz de 1979 entre Israel e Egito. A insegurança no Sinai, porém, aumentou ainda mais após a queda do ditador Hosni Mubarak, em fevereiro de 2011. Um dos alvos preferidos dos militantes tem sido o gasoduto que atravessa o norte do Sinai para alimentar Israel e Jordânia. Em um ano, foi alvo de quinze atentados terroristas.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade