Clique e assine com 88% de desconto

Exército dos EUA passa a tolerar barbas, turbantes e hijabs

As novas regras permitem também lenços para cobrir cabeça, os hijabs que as mulheres muçulmanas usam

Por Da redação - Atualizado em 6 jan 2017, 14h26 - Publicado em 6 jan 2017, 14h24

O Exército dos Estados Unidos adotou novas medidas para facilitar a entrada de sikhs, muçulmanos e outras minorias religiosas em suas tropas. Agora, o Exército aprova que os soldados se vistam de acordo com seus costumes religiosos, com barbas, turbantes ou dreadlocks.

As novas regras permitem também lenços para cobrir cabeça, os hijabs usados por mulheres muçulmanas. Eles devem ser de uma cor semelhante ao uniforme e estar livre de desenhos ou marcas, a “menos que eles são camuflados e usados com um uniforme de camuflagem”. As regras de higiene do cabelo foram alteradas para permitir tranças, coques e dreadlocks.

O secretário do Exército, Eric Fanning, em um memorando assinado esta semana, revisou a política de uniformes para definir padrões de aparência. “Nosso objetivo é equilibrar a prontidão e a segurança dos soldados com a aceitação das práticas de fé de nossos soldados, e esta última diretriz nos permite fazer isso”, disse o tenente coronel Randy Taylor em um comunicado.

As novas regras foram bem recebidas pela Coalizão Sikh. “Estamos satisfeitos com o progresso que esta nova política representa para a tolerância religiosa e diversidade”, disse o diretor jurídico da coalizão Harsimran Kaur. Os sikhs têm uma longa tradição de serviço militar na Índia e em outros lugares. Nos EUA, eles têm servido nos Estados Unidos desde a I Guerra Mundial. Mas reformas nos códigos de uniforme e aparência após a Guerra do Vietnã tornaram difícil para eles servir sem violar os princípios de sua fé.

Publicidade