Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Ex-vice assumirá Presidência do Zimbábue após renúncia de Mugabe

O ex-vice-presidente deve retornar nesta quarta ao país para tomar posse na sexta-feira, informou a emissora estatal local

Por Da redação Atualizado em 22 nov 2017, 14h08 - Publicado em 22 nov 2017, 10h47

O ex-vice-presidente do Zimbábue, Emmerson Mnangagwa, tomará posse como presidente do país na sexta-feira, afirmou a emissora estatal ZBC nesta quarta-feira. A posse dará fim a 37 anos de governo de Robert Mugabe, que renunciou ao cargo na última terça.

Mnangagwa, que fugiu do país por temer por sua segurança depois que Mugabe o demitiu há duas semanas, aterrissará na base aérea de Manyame, em Harare, nesta quarta-feira, às 18 horas (14h, no horário de Brasília), disse a ZBC.

Mnangagwa era vice-presidente de Mugabe e foi seu braço-direito durante muitos anos, principalmente no início do governo. Uma crise política se iniciou quando Mugabe demitiu Mnangagwa e o mesmo fugiu para a África do Sul. A acusação era que de Mugabe havia demitido seu vice para que sua esposa, Grace, pudesse ocupar a presidência.

A demissão levou o Exército a tomar o poder e condenar Mugabe a prisão domiciliar. De seu exílio, Mnangagwa emitiu uma carta pedindo a renúncia do então presidente e convidando a população a pedir o mesmo. Seu partido, o União Nacional Africana do Zimbábue – Frente Patriótica (Zanu-PF, na sigla em inglês) também aconselhou a renúncia, caso contrário seria aberto um processo de impeachment. Mugabe inicialmente se recusou a renunciar.

Continua após a publicidade

A notícia de que ele havia decidido renunciar veio durante o processo de impeachment iniciado no parlamento. Por meio de uma carta, Mugabe anunciou que renunciava voluntariamente para garantir uma transferência de poder suave e pacífica.

Um porta-voz do Zanu-PF anunciou então que Emmerson Mnangagwa assumiria o poder do país até as próximas eleições, que devem acontecer em setembro de 2018.

A queda do líder de 93 anos foi repentina para um homem antes festejado em toda a África como um herói libertador por conduzir sua nação à independência do Reino Unido, em 1980, após uma guerra.

Nesta terça, porém, multidões comemoraram nas ruas de Harare a notícia de que a era Mugabe havia finalmente terminado. Algumas pessoas exibiam pôsteres de Mnangagwa e do chefe do Exército, general Constantino Chiwenga.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)