Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ex-traficante que inspirou ‘Orange Is The New Black’ é preso na Nigéria

O criminoso Buruji Kashamu foi eleito senador recentemente. Ele está em prisão domiciliar e deverá ser extraditado para os Estados Unidos

Por Da Redação - 25 maio 2015, 16h48

Um senador nigeriano suspeito de envolvimento com uma rede de tráfico de heroína desmantelada há quase vinte anos foi preso neste fim de semana em Lagos, capital do país. Buruji Kashamu é suspeito de participar da gangue que inspirou a trama da série ‘Orange Is The New Black’, um dos grandes sucessos da Netflix. Segundo o jornal The Washington Post, ele está em prisão domiciliar e será encaminhado a uma corte, nesta segunda-feira, para que o processo de extradição para os Estados Unidos possa ter início. A defesa de Kashamu diz que ele é inocente e que a prisão representa uma conspiração política.

A americana Piper Kerman, autora do livro de memórias no qual a série foi baseada, era uma das dezenas de pessoas que faziam parte da gangue de Kashamu. Ela cumpriu pena de treze meses de prisão em Connecticut, nos Estados Unidos, por lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. Embora a escritora não tenha identificado Kashamu nominalmente, o jornal The Guardian apontou que ele aparece no livro como a personagem Alhaji. Ele é retratado pela autora como um “rei do crime” do oeste africano.

Leia também:

Militares da Nigéria resgatam 20 reféns do Boko Haram

Continua após a publicidade

Nigéria liberta mais 234 mulheres e crianças reféns do Boko Haram

‘Esperávamos pelo dia em que seríamos mortas’, conta refém do Boko Haram

O nigeriano tem 56 anos e entrou com uma ação judicial para tentar barrar a extradição. Em 1998, Kashamu declarou que o processo criminal movido contra ele por um grande júri de Chicago era um erro de identidade. Ele afirma que um irmão morto era o verdadeiro culpado pelos crimes de conspiração para importar heroína e distribuí-la nos Estados Unidos. Em 2003, uma tentativa de extraditar Kashamu da Grã-Bretanha falhou. A agência de notícias Associated Press reportou que ele ficou cinco anos em uma prisão britânica antes de ser liberado por dúvidas sobre sua identidade. Ele carregava 230.000 dólares quando foi preso no país europeu.

Kashamu se tornou um grande financiador do partido político que levou Goodluck Jonathan à presidência da Nigéria, em 2010. A presença do ex-traficante na legenda fez com que Olusegun Obasanjo, um ex-presidente do país, deixasse a sigla antes das eleições realizadas neste ano. Ele chegou a dizer que “barões da droga comprarão candidatos, partidos e, eventualmente, comprarão o poder ou estarão eles mesmos no poder”. As declarações de Obasanjo fizeram Kashamu mover um processo na Justiça contra ele.

Continua após a publicidade

A prisão de Kashamu também ocorre dias antes da troca do mandato presidencial na Nigéria. Em março, Goodluck Jonathan perdeu a disputa para Muhammadu Buhari, um ex-ditador que governou a Nigéria após um golpe militar nos anos 1980. Entre as promessas de campanha feitas por Buhari estava o combate à corrupção endêmica do país.

(Da redação)

Publicidade