Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-primeiro-ministro da França disputará prefeitura de Barcelona

O socialista Manuel Valls concorre como independente na cidade onde nasceu e busca apoio do Cidadãos e outros partidos

O ex-primeiro-ministro da França Manuel Valls declarou hoje (25) que vai concorrer à prefeitura de Barcelona, na Espanha. Revesando duas declarações entre os idiomas francês, espanhol e catalão, o socialista Valls prometeu renunciar a seu mandato de deputado e suas obrigações políticas na França para concorrer às eleições municipais espanholas de maio de 2019. As informações são do jornal Le Monde.

“Eu quero ser o próximo prefeito de Barcelona”, afirmou três vezes, em catalão e espanhol, para uma plateia concentrada no Centro de Cultura Contemporânea da cidade onde nasceu. “Eu amo a França. Esse país deu a um filho de Barcelona, naturalizado há apenas 20 anos, permissão para ser prefeito, deputado, ministro e primeiro-ministro”, completou.

Segundo Valls, seu retorno à capital da Catalunha não marcará uma ruptura com a França, mas o prolongamento do “caminho da Europa”. Ele diplomaticamente evitou se apresentar como candidato do partido Cidadãos, que defende a unidade da Catalunha com a Espanha, e se apresenta como independente e aberto ao apoio desta e de outras legendas.

“Sou um homem de esquerda, venho do socialismo francês, com seus princípios e valores republicanos”, afirmou Valls, que se dispõe a assumir uma prefeitura de um país monarquista. “Mas sou candidato independente. Os partidos me apoiarão, como o Cidadãos já o fez publicamente, e eu os agradeço. Mas meu desejo é que haja muitos mais. Nós temos tempo”, completou.

Valls concorrerá com Pascual Maragall, carismático prefeito de Barcelona entre 1982 e 1997, considerado um dos principais favoritos da eleição de 2019. Maragall afirmou que Valls será um “adversário difícil”. Ada Colau, atual prefeita de extrema esquerda, declarou ter o ex-primeiro-ministro francês posições reacionárias, especialmente quanto à imigração.

O candidato do Partido Socialista catalão, Jaume Collboni, afirmou ser a pretensão de Valls uma tentativa de retomar sua “carreira política fracassada”. Da Bélgica, o ex-presidente catalão Carles Puigdemont foi mais ferino. “Manuel Valls não conhece Barcelona, e Barcelona não o conhece. Para saber quem ele é, basta ver qual é a opinião sobre ele de seus compatriotas franceses”, ironizou.

Diante das críticas dos seus adversários, o ex-primeiro-ministro francês argumentou que Barcelona será o princípio de uma solução para acabar com as divisões vividas pela Catalunha. “Deve ser o motor que sempre foi.”

Valls, de 56 anos, foi primeiro-ministro da França durante o governo do presidente François Hollande, entre 2014 e 2016. Viveu na Suíça, com os avós, antes de transferir-se com a família para a França. Sua militância política começou aos 17 anos no Partido Socialista francês. Em 2017, foi candidato à prefeitura de Evry. Anunciou sua vitória antes do resultado final e, com votos recontados, perdeu para sua adversária, Farida Amrani.