Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-premiê do Líbano aceita convite de Macron para visitar França

Ex-premiê libanês está na Arábia Saudita desde o dia 4, quando anunciou de surpresa sua renúncia ao cargo de primeiro-ministro

O ex-primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, que anunciou sua renúncia no último dia 4, aceitou o convite do presidente da França, Emmanuel Macron, para deixar a Arábia Saudita e viajar a Paris, segundo anúncio feito nesta quinta-feira pelo ministro das Relações Exteriores francês, Jean-Yves Le Drian.

Em breve declaração a jornalistas na capital saudita, Le Drian não informou a data prevista para a viagem do ex-primeiro-ministro libanês à França.

Le Drian chegou ontem à noite a Riad para conversar com Hariri e com autoridades do reino saudita sobre a situação do ex-premiê após o presidente do Líbano, Michel Aoun, acusar Riad de manter o primeiro-ministro “detido”. Em sua chegada a Riad, o chanceler foi recebido pelo príncipe herdeiro, Mohammed bin Salman, e vários ministros sauditas, e hoje se reuniria com o rei Salman bin Abdelaziz.

Macron fez o convite de viagem a Hariri e a sua família, mas esclareceu, em declarações feitas ontem na Cúpula do Clima de Bonn (COP23), que “de modo algum” isso se trata de uma oferta de asilo.

A França possui relações próximas com o Líbano –o país esteve sob controle francês entre as guerras mundiais– e com Hariri, que possui uma casa na França e passou diversos anos no país. Seu pai, Rafik Hariri, era amigo próximo do ex-presidente Jacques Chirac.

Hariri apresentou sua renúncia, de surpresa, no dia 4 de novembro, durante viagem não programada à Arábia Saudita e em declaração à rede de televisão saudita Al Arabiya.

(com EFE e Reuters)