Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Ex-oficial saudita afirma que príncipe Bin Salman é um psicopata

Em entrevista a um programa de TV local, Saad al-Jabri afirmou que o príncipe herdeiro planejou envenenar o rei do estado do Golfo

Por Da Redação 25 out 2021, 13h21

O ex-espião Saad al-Jabri afirmou em entrevista à TV da Arábia Saudita que o príncipe herdeiro Mohammad bin Salman é um psicopata e que uma vez planejou matar o faelcido rei Abdullah bin Abdulaziz Al Saud com uma aliança envenenada.

Saad al-Jabri, que atualmente vive exilado no Canadá, também disse temer por sua própria vida, pois acredita que Mohammad bin Salman deseja assassiná-lo.

Em declarações ao programa 60 Minutes da CBS, Jabri afirmou que durante uma reunião de 2014 com o príncipe Mohammed bin Nayef, o príncipe herdeiro ameaçou assassinar o rei Abdullah.

Antes de fugir do país, Jabri serviu como assessor do príncipe Mohammed bin Nayef, que foi deposto do trono em 2017 pelo príncipe herdeiro.

Em um comunicado, a Arábia Saudita negou categoricamente as acusações, que considerou falsificações de um “ex-funcionário do governo desacreditado”.

Na mesma entrevista, Jabri fez um apelo público sem precedentes ao governo Biden para ajudar a garantir a libertação de seus filhos, que estão presos na Arábia Saudita.

“Tenho que falar abertamente. Estou apelando ao povo americano e ao governo americano para que me ajudem a libertar essas crianças e a restaurar suas vidas”, disse.

Continua após a publicidade

Jabri disse que gravou um vídeo revelando mais informações sobre as alegações e ameaçou divulgá-lo ao público.

Em agosto de 2019, Jabri entrou com um processo de 107 páginas nos Estados Unidos alegando que o príncipe herdeiro enviou um esquadrão para matá-lo em outubro de 2018 e que as autoridades canadenses frustraram a tentativa. A Arábia Saudita também rejeitou essas alegações.

No ano passado, um tribunal saudita prendeu dois dos filhos de Jabri por lavagem de dinheiro e conspiração para escapar do reino ilegalmente, acusações que eles negam.

Em sua primeira entrevista desde que deixou o reino, Jabri também afirmou que o príncipe herdeiro “não tem empatia” e que o líder de 36 anos é uma ameaça ao povo da Arábia Saudita, aos americanos e ao resto do mundo.

Mohammad — que preside o fundo de investimento que, de forma polêmica, assumiu o controle do Newcastle United neste mês — já está envolvido em um escândalo pelo assassinato de Jamal Khashoggi , colunista do Washington Post morto no consulado da Arábia Saudita em Istambul.

A CIA acusou publicamente o príncipe herdeiro de ordenar o assassinato, embora ele negue veementemente.

Continua após a publicidade

Publicidade