Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-ministro de Berlusconi é preso por polícia antimáfia

Ex-primeiro-ministro italiano diz estar 'desolado' com prisão de Claudio Scajola

A polícia italiana prendeu Claudio Scajola, ministro da indústria no último governo do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, sob suspeita de ajudar na fuga de um ex-colega de partido condenado por associação com a máfia, disseram autoridades nesta quinta-feira. O caso representa mais um escândalo para o partido de Berlusconi, o Força Itália, após a condenação do próprio ex-premiê por evasão de impostos. Mas os efeitos políticos desses reveses, incluindo qualquer impacto sobre os votos do partido nas próximas eleições europeias, ainda permanecem incertos. Berlusconi disse que estava “desolado” com a detenção do político.

Scajola foi forçado a renunciar em 2010 por acusações de ter realizado um obscuro negócio imobiliário envolvendo a compra de um apartamento de luxo próximo ao Coliseu, em Roma, mas foi isentado de culpa por uma corte no início deste ano. A polícia antimáfia na cidade sulista de Reggio Calabria disse que Scajola havia sido preso devido à sua ligação com Amedeo Matacena, um empresário calabrês e ex-parlamentar do partido de centro-direita Força Itália. Em outro caso conturbado, em julho de 2002, o então ministro do Interior ofendeu o professor Marco Biagi, que era consultor do governo e foi assassinado em março do mesmo ano pelas Brigadas Vermelhas, pouco depois de Scajola ter retirado os seguranças do professor.

Leia também

Berlusconi é condenado a serviços comunitários em asilo

Grupo que planejava independência de Veneza é preso

Nenhum comentário foi imediatamente divulgado pelo advogado de Scajola. Ele não deu declarações a repórteres enquanto foi filmado deixando uma delegacia em Roma, nesta quinta-feira. Matacena, condenado por ligações com a Ndrangheta, poderosa máfia da Calábria, atualmente está foragido da Justiça, afirmou a unidade antimáfia da polícia (DIA, na sigla em italiano) em um comunicado. Segundo a imprensa italiana, ele foi preso em Dubai no ano passado, mas libertado logo em seguida.

O promotor-chefe Frederico Cafiero disse a um canal de TV italiano que Scajola era suspeito de, com várias pessoas influentes, ajudar Matacena a deixar a Itália e transferir sua fortuna para fugir da Justiça. O comunicado da DIA disse que a polícia estava agora vasculhando propriedades na Itália e que apreendeu cerca de 50 milhões de euros. No mês passado, Marcello Dell’Utri, outro membro do circulo interno de Berlusconi, foi preso no Líbano. Ele foi declarado fugitivo da Justiça após deixar a Itália antes de uma corte entregar a decisão final sobre acusações de ligação com a máfia.

(Com agência France-Presse)